Entre setembro e outubro estão sendo registrados surtos de gripe aviária em diversas partes do mundo. A suspeita é de que isso esteja ocorrendo por conta de uma nova cepa mais contagiosa da doença. A situação fica ainda mais crítica quando esses casos acontecem em meio a pandemia da Covid-19.

A Europa parece estar concentrando a maior parte dos novos casos. Alemanha e República Tcheca relataram recentemente um aumento da detecção da doença em seu território. Há ainda registros da presença do vírus na Holanda e na Itália.

publicidade

Na Alemanha, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) disse que houve um surto da cepa H5N1 da gripe aviária em uma fazenda de gansos. Pelo menos 663 aves estão no local, relataram às autoridades.

A República Tcheca identificou a mesma cepa em uma granja comercial. Por conta disso, cerca de 5 mil aves vão ser abatidas e um perímetro de proteção vai ser criado em torno do local.

Leia mais:

Gripe aviária no mundo

A Holanda pediu que todas as aves sejam mantidas isoladas para conter surtos após a gripe ser identificada em uma granja. Cerca de 36 mil aves também foram abatidas na fazenda. Esse é o segundo surto da doença no país apenas esse ano.

Na Itália, 200 perus foram mortos pela mesma cepa da gripe aviária identificada na República Tcheca. França, Luxemburgo e Bélgica também indicaram a presença do vírus em seus animais.

“A situação sanitária em relação à gripe aviária altamente patogênica é preocupante. Desde 1º de agosto, 25 casos foram detectados na Europa entre aves selvagens e em cativeiro”, disse o governo belga.

Segundo a AFP, por enquanto os casos se mantêm baixos, mas já preocupam as autoridades, que monitoram a situação, principalmente com a aproximação do inverno, onde o risco de contágio.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!