Um foguete Soyuz deixou o cosmódromo Plesetsk, na Rússia, no último sábado (5), carregando o satélite militar de inteligência “Neitron”. De acordo com o serviço “NOTAM”, o lançamento colocou o objeto em um plano orbital com inclinação de 67 º, o que o deixaria em uma posição otimizada para missões de reconhecimento.

As informações sobre o satélite e sua órbita, no entanto, são sigilosas devido à natureza confidencial da missão russa. O que se especula, no entanto, é que ele receberá a companhia de um irmão — o satélite possivelmente chamado Tekhnolog — em um futuro próximo.

Leia também

Lançamento de foguete Soyuz carregou mais um satélite militar russo para o espaço, mas ainda não se sabe para qual finalidade
Lançamento de foguete Soyuz carregou mais um satélite militar russo para o espaço, mas ainda não se sabe para qual finalidade (Imagem: Ministério de Defesa da Rússia/Divulgação)

O Neitron foi criado pelo NPO Mashinostroyeniya, um escritório governamental russo que também leva o crédito pela linha de satélites Kondor, que produz imagens detalhadas da Terra. Originalmente, ele deveria ser lançado em 2018, mas problemas técnicos acabaram adiando seu voo em quatro anos.

publicidade

A operação de lançamento foi conduzida pela Vozdushno-Kosmicheskiye Sily (VKS), as forças aeroespaciais russas, ligadas ao exército do país governado por Vladimir Putin. O órgão foi criado em 2015, resultando da fusão entre a força aérea e a força de defesa aeroespacial. Uma de suas inúmeras atribuições é a criação de mecanismos de defesa contra mísseis — o lançamento de satélites de monitoramento e imagem é parte disso, então há quem especule ser essa a finalidade do Neitron.

O governo russo não comentou o lançamento. Um segundo foguete Soyuz, operado pela Arianespace, deve levantar voo na próxima semana. Desta vez em uma missão civil, carregando uma série de satélites da plataforma de internet OneWeb.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!