Mulheres pretas, travestis e pessoas transexuais compõem o grupo com maior dificuldade na busca por um emprego formal. Pensando em auxiliar essa parcela da população, a AsteriscoLab e K21 oferecem o programa gratuito de capacitação Lab Plural, de março a setembro deste ano.

A formação de seis meses acontece de maneira online, para o público alvo de todo o Brasil. A ideia da AsteriscoLab e da K21 é aumentar as chances de pessoas trans, travestis e mulheres cis pretas serem inseridas no mercado de trabalho. A ideia é que tenham acesso à formação profissional gratuita e de qualidade, para enfrentar questões relacionadas à carreira e à empregabilidade de grupos marginalizados ou minorizados.

publicidade

Leia mais:

Ao divulgar o programa, as duas instituições destacaram um relatório de 2021 divulgado pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), que mostra que 90% da população trans e travesti só encontra renda e subsistência recorrendo à prostituição. Além disso, segundo dados do IBGE e PNAD, a subocupação de mulheres negras foi 35% maior que homens brancos, no primeiro semestre do ano passado.

Assim, esse público pode se inscrever no curso através do site labplural.digital até o próximo domingo (13). As aulas acontecem no período noturno. Participantes do programa de capacitação Lab Plural receberão certificado.

No curso, vão aprender lean startup, agile design thinking, product discovery, gestão de produtos digitais, user stories, OKRs, agilidade, scrum, kanban, técnicas ágeis de facilitação, métricas ágeis e transformação organizacional.

capacitação para mulheres negras e trans
A subocupação de mulheres negras é 35% maior do que a de homens brancos. Imagem: AsteriscoLab/Divulgação

Bernardo Gonzales, um dos coordenadores do programa e pessoa transmasculina, destaca que a iniciativa é um passo importante para a empregabilidade dos grupos abraçados pela capacitação. Isso porque, principalmente as pessoas trans e travestis, estão entre as mais submetidas à violência e discriminação, do que propriamente no mercado formal de trabalho.

“Ao mesmo tempo em que o curso oferecerá acesso à cultura e às metodologias ágeis de forma gratuita, também proporcionará upgrade de carreira com chances reais de melhores oportunidades de emprego”, explicou Bernardo.

Ao divulgar o curso, as instituições acrescentam ainda uma pesquisa do Fórum Econômico Mundial, de 2020. O estudo revelou que equipes com diversidade aumentam a lucratividade das empresas entre 25% e 36%. Além disso, a taxa de inovação aumenta em até 20%.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!