Em janeiro, o Banco Central (BC) disponibilizou uma ferramenta que verifica se há algum dinheiro a receber “esquecido” nos bancos. A questão é que a iniciativa também despertou o interesse dos cibercriminosos, que já encontraram formas de se aproveitar para aplicar golpes. 

Nas redes sociais, por exemplo, estão circulando mensagens que oferecem vantagens ao usuário e até saques por meio do Pix. Pensando nisso, confira algumas dicas abaixo para se manter protegido. 

De início, saiba que o BC lançou uma nova página de consultas neste domingo (13), já que a primeira versão foi descontinuada por sobrecarga de acessos.

Exemplo de fraude

Os golpistas estão se aproveitando de elementos visuais do site oficial e também do seu endereço de domínio para criar sites falsos, uma modalidade de golpe conhecida como phishing. Além do potencial de infectar o computador ou celular da vítima com arquivos maliciosos, os criminosos podem captar os seus dados caso caia nessa armadilha.

publicidade
Dinheiro esquecido nos bancos: veja como se proteger contra golpes
Não clique em links suspeitos enviados por e-mail, SMS ou WhatsApp. Imagem: Tero Vesalainen/Shutterstock

Sendo assim, a primeira dica é: acesse apenas a página oficial de consulta do BC para verificar se possui algum valor a receber. O que pode ser feito única e exclusivamente em valoresareceber.bcb.gov.br.

Desconfie sempre de mensagens e links que prometem ganhos instantâneos e transferência de valores por Pix, o que também está sendo compartilhado em aplicativos de mensagens como o WhatsApp, ressalta o BC.

Outras formas de se proteger

  • O Banco Central afirma que não envia links ou entra em contato para tratar sobre valores e/ou confirmar dados pessoais. Logo, não compartilhe nada ao receber alguma solicitação do tipo.
  • Não informe senhas ou acesse links suspeitos enviados por e-mail, SMS, WhatsApp ou Telegram.
  • Não realize nenhum tipo de pagamento na promessa de que terá acesso a outros valores.

Segundo o BC, pode haver algum contato direto da instituição financeira para confirmar o repasse dos valores caso o cliente solicite um resgate sem indicar uma chave Pix.

Cerca de R$ 8 bilhões “esquecidos”

Ao todo, o Banco Central indica que os clientes devem receber R$ 8 bilhões ao longo de 2022. Quantia fruto de tarifas, parcelas ou operações de crédito cobradas indevidamente, além de contas encerradas ainda com saldo disponível.

Na primeira fase, R$ 3,9 bilhões serão devolvidos para 24 milhões de pessoas físicas e jurídicas.

Como verificar se tenho direito ao pagamento?

Todos os brasileiros poderão realizar a consulta a partir desta segunda-feira (14) por meio da nova página disponibilizada pelo BC. Basta seguir os passos abaixo.

1. Acesse o site exclusivo para a consulta e digite o seu CPF ou CNPJ.

Imagem: Banco Central/Reprodução

2. Na tela seguinte, aparecerá a informação se possui ou não valores a receber.

Em caso positivo, o sistema informa a data que o cidadão pode solicitar a transferência para o banco de sua preferência (as operações começam apenas após o dia 7 de março de 2022).

Por fim, saiba é preciso ter um cadastro ativo na plataforma ‘Gov.br’ para conseguir solicitar o saque.

Como os bancos vão devolver o dinheiro?

A partir da data do pedido do cliente, os bancos terão 12 dias para efetuar a devolução, que pode ser feira via Pix. Se a instituição ainda não aderiu ao pagamento, o repasse será feito por DOC ou TED.

Alguns bancos também vão oferecer o pagamento direto em seus aplicativos.

Posso pedir a devolução em nome de outra pessoa?

A resposta é sim, no entanto, é preciso acessar o Fale Conosco do BC e enviar a documentação que comprova que você representa outra pessoa.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!