Uma pesquisa realizada pela Universidade do País Basco, na Espanha, apontou que a bactéria responsável pela gastrite e outras doenças, como úlcera péptica e câncer de estômago, é resistente aos três principais antibióticos utilizados durante o tratamento da infecção.  

Os pesquisadores afirmam que a resistência pode ter sido provocada pelo uso indiscriminado dos medicamentos conhecidos como metronidazol, levofloxacina e claritromicina.  

Leia também!

A pesquisa analisou mais de 4 mil amostras de tecido estomacal de pacientes que estavam com a Helicobacter pylori, ou apenas H. pylori, e comprovaram 20% de resistência contra a levofloxacina, 25% contra a claritromicina e 30% contra o metronidazol. 

publicidade

A bactéria H. pylori é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como um agente carcinogênico por estar relacionada a doenças simples, como a gastrite, mas também por causar graves complicações gástricas, como um câncer. Atualmente, estima-se que ao menos 40% da população mundial conviva com a presença da bactéria no organismo.  

Esta resistência foi encontrada na Espanha e em outros países da Europa, como Itália, França e Noruega. No entanto, no Brasil, que segue o mesmo padrão de tratamento, a resistência da bactéria da gastrite não é vista.  

Ilustração gráfica de uma mulher sofrendo com gastrite
Estudo afirma que bactéria causadora da gastrite é resistente a antibióticos. Imagem: Emily frost/Shutterstock

“Ainda não chegamos ao ponto de o uso desses remédios se tornar proibitivo, como aponta esse estudo. Esses níveis de resistência são extremamente preocupantes. Pelo nosso consenso, se houver resistência acima de 15%, já é recomendado trocar o antibiótico”, explica o presidente da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), Décio Chinzon. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!