O Procon-SP chamou a Polícia Civil de São Paulo para investigar um suposto golpe de criptomoedas. A empresa do setor se chama MSK Invest e é acusada de aplicar golpes contra investidores, captando R$ 700 milhões de clientes pela operação com a promessa de rendimentos de 5% ao mês, incluindo ganhos extras associados a supostas negociações de criptomoedas.

Nos últimos meses, parte dos clientes da corretora começaram a relatar a existência de problemas em reaver seus investimentos e isso levou a acusações que algo estaria acontecendo de errado, como um esquema de pirâmide financeira.

publicidade

As reclamações foram direcionadas ao Procon-SP que entrou em contato com a corretora, conseguindo o acordo de pagamento para os clientes que se sentiram prejudicados. Houve também a promessa da MSK Invest melhorar a sua equipe de atendimento.

Depois disso, do acordo prévio entre o Procon-SP e a MSK Invest, as reclamações não pararam: o órgão paulista recebeu 172 queixas em janeiro e 337 no período entre primeiro de fevereiro e a quinta-feira (17). Através de comunicado, o Procon-SP decidiu não aguardar a efetivação do acordo prévio e acionou a polícia para investigação do suposto golpe.

Até o momento, a Polícia Civil não se manifestou publicamente e possivelmente deverá avaliar a solicitação do Procon-SP, para decidir se instaurar ou não um inquérito contra a empresa. Ademais, a MSK Invest foi denunciada ao Ministério Público Federal, que atualmente é o responsável pela investigação de outras fraudes de criptomoeda, Faraó do Bitcoin, por exemplo.

Leia mais:

Fonte: Agência Brasil

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!