A Gryfo, uma startup paulista que trabalha com software de reconhecimento facial, anunciou recentemente os seus resultados obtidos em 2021. De início, a empresa observou um crescimento expressivo de 424% na demanda por suas ferramentas este ano.

Mesmo com os impactos da pandemia na economia, a Gryfo, que utiliza inteligência artifical (IA) nas suas plataformas — um segmento que por si só já cresceu 16% desde 2020, segundo levantamento da alemã Statista — observou o seu faturamento subir de R$ 300 mil no ano passado para R$ 700 mil até o mês de setembro de 2021.

publicidade

Ao todo, a empresa de tecnologia (que opera como um spinoff da Monitora Soluções Tecnológicas) possui uma base de 20 mil usuários ativos. Com a aceitação da tecnologia no mercado, a previsão de faturamento da startup para 2022 é ainda mais positiva: R$ 3,1 milhões.

Leia mais: 

Sobre os ganhos, Victor Gomes, co-fundador da Gryfo, explicou: “É inegável que a pandemia foi um marco nas mudanças comportamentais e no investimento em tecnologia. Como o vírus também pode se espalhar por objetos, nossos softwares possibilitam que não haja esse tipo de contato, além de ter uma chance menor de ocorrer problemas com fraudes e roubo de dados”. 

“Estamos esperançosos pelo futuro, pretendemos fechar 2021 com um investimento cinco vezes maior que no ano passado”, acrescentou.

Por fim, a empresa também diz que pretende ampliar o seu portfólio de serviços para dar suporte a realização de atividades cotidianas com mais segurança.

“Também estão nas metas utilizar nossas ferramentas de reconhecimento facial para fazer o pagamento de passagens no transporte público e auxiliar na educação remota, principalmente em questões de marcação de presença e na autenticidade da realização das provas”, concluiu Gomes.

Imagem principal: ImageFlow/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!