Enquanto as organizações que defendem os militares ucranianos já receberam mais de US$ 4 milhões em doações por meio de Bitcoins, os bilionários russos já perderam cerca de US$ 39 bilhões (cerca de R$ 200 bilhões) desde o início do conflito orquestrado pelo presidente Vladimir Putin. Vagit Alekperov, presidente da Lukoil, teve o patrimônio reduzido em quase um terço em apenas 24 horas.   

Com o índice da bolsa russa Moex fechando em queda de 33% em Moscou, a quinta pior da história no mercado de ações local, os bilionários foram aos prantos como vivenciado na chamada “segunda-feira negra”, registrada em 1987, quando uma queda catastrófica nas ações atingiu o mercado que vale mais de US$ 50 bilhões. 

publicidade

Fortunas em queda livre 

Diante das perdas financeiras dos bilionários russos, o UBS Group AG, uma empresa de gestão de fortunas com sede em Zurique, na Suíça, já solicitou mais garantias econômicas para alguns clientes que utilizam títulos russos como garantia em seus portfólios. 

O UBS Group AG atende a metade dos bilionários do mundo e agora analisa a situação como uma das piores crises de segurança financeira na Europa desde a Segunda Guerra Mundial, o que deve aprofundar as perdas no mercado da região, em especial na Rússia. 

publicidade

As perdas já estão sendo reflexo das sanções anunciadas pelo presidente norte-americano, Joe Biden, que preferiu atingir a Rússia por meio do cancelamento das exportações de produtos que possam auxiliar no desenvolvimento bélico, assim como por restrições econômicas aos bancos e bilionários. 

Biden afirmou que os Estados Unidos só vão interferir militarmente na guerra caso as tropas de Vladimir Putin pisarem em algum território pertencente a países que fazem parte da Otan, Organização do Tratado do Atlântico Norte.   

publicidade

Leia mais:

Bilionários russos na mira das sanções

Um extenso grupo de bilionários, incluindo Gennady Timchenko, também está sujeito a penalidades devido a seus laços com Putin, embora haja pedidos para ampliar os alvos potenciais. O empresário controla o Volga Group, que investe em energia, transporte e infraestrutura.

publicidade
Presidente Joe Biden. Imagem: Shutterstock
Além das quedas de mais de 30% no mercado de ações, os bilionários russos já começam a sentir as sanções econômicas impostas pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que conta com o apoio do Reino Unido. Imagem: Shutterstock

Vagit Alekperov, presidente da Lukoil, empresa russa de energia com sede em Moscou, especializada nos negócios de extração, produção, transporte e venda de petróleo, gás natural e derivados de petróleo, sentiu na pele a queda no patrimônio líquido da companhia. 

De acordo com o Bloomberg Billionaires Index, as perdas atingiram cerca de US$ 13 bilhões em apenas um dia, com as ações  tendo um declínio de 33%. 

O bilionário Alexey Mordashov perdeu US$ 4,2 bilhões somente na quinta-feira (24) e muitos outros já amargam reduções na casa de 40% no valor das fortunas. Marcas que demonstram que a guerra sempre é a pior escolha.

Via: G1

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!