Diversas estações de carregamento carros elétricos operadas pela empresa russa Rosseti foram desativada nesta segunda-feira (28) após serem hackeadas para exibir mensagens pró-Ucrânia. Um vídeo publicado no Reddit mostra que mensagens ofensivas ao presidente russo Vladimir Putin estavam aparecendo nas telas dos terminais. Por conta disso, a empresa decidiu por desativar um número não revelado de estações de carragamento na rodovia.

A principal frase no terminal aparecia depois do aviso Call service, no plugs available (“Ligue para o serviço, plugues indisponíveis”) e dizia Putin xujlo, uma transliteração do ucraniano хуйло́ para letras latinas.

publicidade

É um termo chulo. хуйло́ (pronuncia-se k-hulo, com um h aspirado) vem de хуй (k-hui), um palavrão que significa pênis em russo, ucraniano e bielorusso. O sufixo “lo” é usado para um substantivo neutro, mas na gíria eslava pode dar uma conotação sarcástica às palavras. Uma tradução educada seria: “Putin é um calhorda”. Mas dá para imaginar coisas mais adequadas.

Outras frases diziam Smert vorogam! (“Morte aos inimigos”), Geroyam slava! (“glória aos heróis”) e Slava Ukrayini! (“Viva a Ucrânia”). A autoria do ataque ainda não foi identificada.

Segundo nota da Rosseti, as estações ficam localizadas na autoestrada M11, que liga Moscou a São Petersburgo. Todas as estações do grupo, diz a nota oficial, foram compradas de uma companhia russa, Gzhelprom, mas alguns componentes (incluindo o controlador) foram terceirizadas para uma companhia ucraniana especializada, a Autoenterprise, baseada em Kharkiv.

Esta manteve um backdoor nos carregadores, permitindo a possibilidade de acesso oculto via internet — segundo a Rosseti, um processo tido como padrão em todas as estações de carregamento elétrico exportadas pela Ucrânia. Por conta disso, pressupõe-se, segundo a empresa, que o erro tenha acontecido sob a responsabilidade da Autoenterprise.

Segundo a Rosseti, as estações hackeadas foram isoladas da rede e voltarão a funcionar em breve.

Estação hackeada em Moscou
Estação da Rosseti hackeada em Moscou mostrando as frases “Putin é um idiota” e “Morte aos inimigos” (Reprodução/Reddit)

Antes das estações hackeadas, os jogos de futebol

De acordo com informações da Vice, a frase “Putin é um #$!@$” se tornou uma palavra de ordem comum na Ucrânia durante a invasão russa à Crimeia em 2014, principalmente durante jogos de futebol.

A frase foi inspirada num antigo cântico de torcida, Surkis khuylo! (“Surkis é um #$@!@”), durante o auge de uma disputa entre dois oligarcas ucranianos, Oleksandr Yaroslavskyi, proprietário do Metalist Kharkiv, e Grygory Surkis, então presidente da Federação Ucraniana de Futebol e com fortes laços com o Dínamo de Kiev, maior clube do país (e, diga-se de passagem, o mais popular e bem-sucedido da antiga União Soviética).

Tentando se manter próximos de Yarolavskyi, os torcedores do Metalist começaram a entoar o cântico Surkis khuylo! em um jogo contra o Dínamo, em 2010. Quatro anos depois, então, a letra da melodia foi substituída por Putin no lugar de Surkis e adotada por alas nacionalistas dos clubes durante as partidas, tanto do Dínamo quanto clubes intermediários como o Dínamo Dnipropetrovsk e o próprio Metalist.

Estações hackeadas para xingar Putin se juntam à essa tradição.

Crédito da imagem principal: Reprodução/Reddit

Leia também:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!