Diante das sanções econômicas impostas à Rússia, os principais magnatas do país estão adotando medidas alternativas para salvarem suas fortunas. Iates de bilionários russos já chegaram ao Oceano Índico, cruzando as Maldivas e Ilhas Seychelles, saindo do território sob comando de Vladimir Putin

Os quatro maiores iates de luxo que estão nas Maldivas são de propriedade russa, segundo uma análise de dados de navios feita pela Bloomberg News. Especialistas estimam que de 7% a 10% da frota global de super iates sejam de propriedade de russos.

Magnatas na mira das sanções

O maior iate, o Ocean Victory de 459 pés (140 metros), pertence ao magnata do aço Victor Rashnikov, enquanto o Clio, de 238 pés, está ligado ao magnata do alumínio Oleg Deripaska. 

O Nord, de 465 pés, de propriedade de Alexei Mordashov, também bilionário do aço, está nas ilhas Seychelles, depois de partir das Maldivas. O Sea Rhapsody, do banqueiro russo Andrey Kostin, está indo para a cadeia de ilhas depois de deixar a Turquia

publicidade
iate de luxo
Iates russos estão a caminho do Oceano Índico para não sofrerem sanções impostas pelos Estados Unidos e União Europeia; bilionários sentem os efeitos da guerra. Imagem: Shutterstock

Mordashov é o empresário mais rico da Rússia e tem investimentos que vão desde agência de viagens até negócios em comunicação. Ele foi incluído pela União Europeia na lista de bilionários russos que estão no alvo das sanções.  

Segundo a UE, o banco Rossiya, que tem Alexei como acionista, tem entre os clientes funcionários russos do alto escalão que se beneficiaram da anexação da Crimeia. 

O bloco acredita que os negócios de comunicação social em que Mordashov investiu ajudaram a desestabilizar a Ucrânia.

Leia mais:

Empresário se defende e diz que é contra a guerra

O homem mais rico da Rússia tem 56 anos e é filho de operários da cidade de Cherepovets, a 482 quilômetros de Moscou. Em 2021, ele perdeu o posto das 50 pessoas mais ricas do mundo da revista Forbes, segundo o The Guardian.

Mordashov é ainda o acionista principal da maior siderúrgica e mineradora da Rússia, a Severstal, que exporta para mais de 50 países e é um dos principais motores da economia de sua cidade natal.

Alguns dos produtos produzidos pela Severstal são de alta resistência e usados na fabricação de equipamentos de defesa russos, incluindo veículos blindados.

Em comunicado, Alexei Mordashov afirmou que não tem “absolutamente nada a ver com o surgimento da atual situação geopolítica”.

Acrescentou que está afastado da vida política e pediu o fim da guerra entre a Rússia e a Ucrânia, que apelidou de “tragédia de dois povos irmãos”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!