Uma série de estações voluntárias de sismologia ajudou a levantar maiores informações técnicas sobre o terremoto no Haiti, que atingiu 7,2 pontos na Escala Richter, em 2021. A área não conta com muitas estações sismológicas próprias, o que dificultaria a análise de dados não fossem os voluntários.

A iniciativa se valeu de tecnologias de baixo custo e fácil implementação: todo o poder computacional da medida, por exemplo, foi obtido por meio de computadores Raspberry Pi – os mesmos que você consegue comprar em qualquer loja online a preços bem reduzidos.

publicidade

Leia também

O Terremoto de 2021 no Haiti foi um dos desastres naturais mais notáveis da história, mas análise de dados sobre ele veio de rede voluntária cidadã
O Terremoto de 2021 no Haiti foi um dos desastres naturais mais notáveis da história, mas análise de dados sobre ele veio de rede voluntária cidadã (Imagem: arindambanerjee/Shutterstock)

A ideia partiu de Eric Calais, geólogo e pesquisador de terremotos da Universidade Côte d’Azur/CARIBACT, na França. Junto de alguns colegas, Calais fez uso de sismômetros improvisados e instalados na casa de diversos cidadãos haitianos – tanto próximos ao epicentro do terremoto, como ao longo de sua projeção.

A ideia foi originalmente executada em 2019, e se provou bastante inteligente: graças à rede cidadã levantada, autoridades conseguiram dados que lhes permitiram atribuir informações técnicas e preditivas sobre o evento, como a profundidade e capacidade de expansão do tremor e a possibilidade de ocorrência de choques posteriores.

“Este é um exemplo importante do impacto direto da sismologia cidadã no entendimento de um terremoto amplo e altamente danoso, na ausência de estações de sismologia convencionais nas proximidades do evento, ressaltando o valor agregado do esforço do cidadão na resposta a um terremoto”, diz trecho do paper assinado por Calais e publicado na revista Science.

O terremoto do Haiti em 2021 foi o maior daquele ano – e o maior da história da nação caribenha desde um evento similar em 2010. Seu hipocentro – ou seja, sua distância de profundidade – foi de 6,2 quilômetros (km) e sua ocorrência matou mais de 2,2 mil pessoas, ferindo outras 12,2 mil.

Por causa do terremoto, o Haiti se viu em desesperada necessidade de auxílio humanitário global e, de acordo com a UNICEF, mais de meio milhão de crianças foram afetadas de forma direta e indireta. O impacto financeiro estimado foi de US$ 1,5 bilhão (R$ 7,55 bilhões) – acima de 10% de toda a economia do Haiti.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!