Em outro possível caso de manipulação de benchmarking, o Xiaomi Mi 11 pode estar limitando certos apps para se sair melhor em avaliações de desempenho automáticas. 

A descoberta foi publicada no Twitter por John Poole, cofundador da Primate Labs e criador do Geekbench. Ele notou que o Xiaomi Mi 11 fazia uma pontuação claramente mais baixa usando uma versão modificada do benchmark. A versão simplesmente disfarçava o Geekbench com o nome de jogos como Fortnite e Genshin Impact.

Os resultados mostram desempenho de CPU single-core 30% mais baixo, enquanto o desempenho multi-core cai 16%. Aparentemente, o núcleo baseado em Cortex-X1 apresenta problemas para lidar com carga sustentada (seja por aumento de calor ou consumo de bateria).

O Mi 11 foi lançado há mais de um ano, e não está claro se a Xiaomi estava limitando apps desde o começo, ou se a manipulação começou com alguma atualização. Por enquanto não se sabe ainda se o Mi 11 Pro, o Mi 11 Ultra, Mi 11i e Mi 11X Pro também estão limitando apps. 

publicidade

Leia mais:

Essa questão com a Xiaomi vem na esteira de outro caso do tipo envolvendo a Samsung. Celulares da linha Galaxy S22 também estavam limitando desempenhos de apps. Depois que o caso foi exposto no Twitter, o CEO da companhia pediu desculpas publicamente e disse que uma atualização iria reverter o problema.

Via: GSM Arena

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!