A General Motors (GM) está apoiando o projeto Felinos Pantaneiros, que tem como foco a conservação do bioma do Pantanal a partir do manejo de grandes felinos, como a onça-pintada, por exemplo. Os trabalhos visam a convivência harmoniosa entre o ambiente e as atividades econômicas na região.

Com direito a uma picape Chevrolet S10 Z71 devidamente adesivada com a cara do projeto, a GM está dando respaldo às atividades científicas e de educação ambiental executadas pelo Instituto Homem Pantaneiro (IHP). O veículo está sendo utilizado nas atividades de campo e possui dentre suas configurações 200 cv de potência, controle eletrônico de tração 4×4, 51 mfkg de torque e uma capacidade de carga de 1.200 kg.

publicidade

Leia também:

GM atuando em projetos de biodiversidade no Brasil

“A preservação dos biomas e sua biodiversidade é fundamental para o Brasil e para o planeta; e nós, enquanto uma grande companhia que atua na região, precisamos assumir essa responsabilidade e colaborar no sentido de cuidar não só da sociedade, mas também do meio ambiente em que estamos inseridos”, comenta a vice-presidente de Comunicação, Relações Governamentais e ESG, Marina Willisch.

publicidade

A GM informa que já atua na preservação de biomas dentro e ao redor de suas fábricas, incluindo projetos de educação ambiental, mapeamento e conservação de espécies. Conforme traz a empresa, a maioria de suas operações está inserida em regiões de Mata Atlântica. “No entanto, o objetivo da companhia é ampliar esse leque de preservação no Brasil”.

Para termos uma ideia da condição delicada da biodiversidade no Bioma, a onça-pintada (uma das espécies mais expressivas do Pantanal) aparece como “Vulnerável” na Lista Nacional Oficial de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção (que pode ser vista aqui).

publicidade

A GM promove 27 projetos de manutenção da biodiversidade no Brasil, incluindo o mapeamento de mais de 430 espécies. Todas as unidades da companhia no país possuem a certificação do Wildlife Habitat Council (WHC), que atesta a sustentabilidade das operações, o engajamento na realização de atividades de educação para conservação e o aprimoramento da biodiversidade nas propriedades corporativas.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!