Um estudo publicado pela revista científica Nature Cancer descobriu um tipo de anticorpo capaz de atacar as células-tronco cancerígenas, retardando a evolução do câncer e não danificando as células saudáveis.  

O novo anticorpo foi chamado de Petosemtamab (ou MCLA-158) e se mostrou eficiente em evitar o início da metástase, momento em que o câncer se espalha para outros órgãos

publicidade

Leia também!

Os pesquisadores utilizaram camundongos na fase inicial, mas apontam que nas próximas fases do estudo podem utilizar organoides – pequenos tecidos em 3D derivados de células-tronco utilizados para a descoberta de novos medicamentos para a indústria farmacêutica.  

“A medicina do futuro começa aqui”, comemorou o pesquisador do Instituto de Investigação em Biomedicina de Barcelona (IRB), Eduard Battle, que ajudou no processo.

Durante a pesquisa, foi utilizado uma espécie de biobanco de organoides de pacientes com câncer de cólon para avaliar os anticorpos mais eficientes no combate à doença, segurança para os pacientes e capacidade de adaptação à tumores portadores de mutação.  

Duas células cancerosas em tons de rosa
Cientistas descobrem anticorpo capaz de retardar evolução do câncer. Imagem: Kateryna Kon/Shutterstock

A empresa holandesa de biotecnologia Merus que é a responsável pela pesquisa juntamente com alguns pesquisadores do IRB Barcelona divulgou no ano passado alguns resultados preliminares sobre o MCLA-158. De acordo com os dados, três dos sete pacientes com câncer de cabeça e pescoço obtiveram respostas parciais.  

Apenas um teve uma resposta completa, mas todos apresentaram redução do tumor. “Esperamos que a atividade antitumoral relatada nos dados preliminares seja confirmada”, completou Battle. 

Via: G1

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!