A Tesla está processando o ex-engenheiro Alexander Yatskov por supostamente roubar informações “confidenciais e bem guardadas” relacionadas à tecnologia de supercomputadores da empresa, chamada Project Dojo, conforme relatado pela Bloomberg. Em uma cópia da ação, a Tesla acusa Yatskov de baixar as informações para seus dispositivos pessoais e se recusar a devolvê-las.

Yatskov, que Tesla afirma ter mentido em seu currículo sobre seu histórico de trabalho e habilidades, começou a trabalhar para a fabricante de veículos elétricos como engenheiro térmico em janeiro deste ano, e ajudou no projeto dos sistemas de refrigeração do sistema. Dojo é o computador de treinamento de rede neural da Tesla que processa grandes quantidades de dados usados ​​para treinar o software de IA nos carros autônomos da empresa. De acordo com a denúncia, Yatskov se apoderou de informações sobre o resfriamento do Dojo, além de outras informações confidenciais associadas ao projeto.

publicidade


A Tesla diz que todos os engenheiros assinam um acordo de confidencialidade que deve impedi-los de divulgar ou armazenar informações confidenciais sobre o Dojo, que a Tesla diz que Yatskov alegadamente violou, “removendo informações confidenciais da Tesla de dispositivos e contas de trabalho, acessando-as em seus próprios dispositivos pessoais, e criar documentos contendo detalhes confidenciais do Project Dojo em um computador pessoal.”

A empresa também diz que descobriu qur Yatskov enviava e-mails com informações confidenciais da Tesla de seu endereço de e-mail pessoal para seu e-mail de trabalho.

Video de evento sobre tecnologia realizado pela Tesla

Conforme observado na reclamação, a Tesla afirma que Yatskov admitiu armazenar informações confidenciais em seus dispositivos pessoais quando a empresa o confrontou sobre a situação. O fabricante de EV colocou Yatskov em licença administrativa a partir de 6 de abril de 2022 e pediu que ele trouxesse seus dispositivos para que Tesla pudesse recuperar qualquer informação roubada.

Yatskov respondeu supostamente fornecendo a Tesla um laptop “falso” na tentativa de ocultar qualquer evidência contra ele. Esse suposto chamariz não continha nenhuma das informações em questão e foi feito para “parecer que pode ter acessado apenas informações inofensivas da Tesla, como uma carta de oferta”.

Leia também:

Yatskov renunciou ao cargo em 2 de maio. A Tesla está processando Yatskov por danos compensatórios e exemplares, e também está buscando uma ordem judicial que forçaria Yatskov a devolver as informações confidenciais.

Com informações de The Verge

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!