Desenvolvido para conduzir pessoas e cargas para a Lua, Marte e além, o novo superfoguete da SpaceX consiste em dois elementos: um booster de primeiro estágio chamado Super Heavy e uma espaçonave de estágio superior conhecida como Starship.  Juntos, eles formam o maior sistema de lançamento espacial na história, com 120 metros de altura.

O maior sistema de lançamento espacial na história, com 120 metros de altura, formado pelo propulsor Super Heavy e a espaçonave de estágio superior Starship. Imagem: NasaSpaceFlight

Segundo a diretora operacional e presidente da SpaceX, Gwynne Shotwell, a empresa estima que a primeira tentativa de lançamento orbital da Starship ocorra em junho ou julho. 

publicidade

No entanto, antes disso, é necessária a autorização da Administração Federal de Aviação (FAA), que está conduzindo uma “avaliação ambiental programática” (PEA) da Starbase (instalação da SpaceX em Boca Chica, no Texas). Somente depois da conclusão dessa avaliação é que o órgão poderá emitir a licença de lançamento do maior e mais poderoso foguete já construído.

Avaliação ambiental da FAA deve ser entregue no fim deste mês

Em relação à avaliação ambiental, a FAA emitiu uma nota dizendo que seus especialistas estão tentando concluí-la até 31 de maio. Vale lembrar que essa já é a quarta data anunciada pelo órgão regulador. A justificativa é que a empresa de Elon Musk fez alterações no requerimento. “A SpaceX fez várias mudanças em sua aplicação que requerem análise adicional da FAA”, diz o comunicado mais recente da estatal.

E mesmo com a aprovação ambiental, não existe a garantia da concessão da autorização para o lançamento. “A conclusão do PEA não garantirá que a FAA emita uma licença de lançamento”, afirmou o órgão federal em diversas notas oficiais emitidas. 

Se, por um lado, sem a licença de lançamento da FAA e a aprovação ambiental, a Starship não pode ser lançada legalmente da Starbase, por outro lado, o veículo nem mesmo concluiu toda a gama de testes e revisões burocráticas para isso. 

Todo esse cenário, segundo o site Teslarati, indica que dificilmente o lançamento da Starship deve acontecer em menos de três meses a seis meses.

A SpaceX terminou de montar o Super Heavy Booster 7, rolou o foguete para o local de lançamento em 31 de março e completou vários testes importantes no início de abril. No entanto, durante o último teste, um aparente erro do operador danificou significativamente uma grande parte instalada dentro do propulsor, forçando a SpaceX a retornar o Super Heavy B7 ao local de manutenção da Starbase. 

Na última sexta-feira (6), após duas semanas e meia de reparos, o B7 retornou à plataforma de lançamento e completou outro teste de circulação de fluidos gelados (crioproof), comprovando que os ajustes feitos foram bem sucedidos.

Teste criogênico do Super Heavy Booster 7

Agora, para o superfoguete ser considerado pronto para voar com segurança, resta conduzir o teste de fogo estático com todos os 33 motores Raptor do propulsor. Até o momento, a SpaceX nunca acendeu mais de seis deles de uma só vez em um protótipo da Starship.

Pode ser até que a SpaceX resolva não fazer isso com o modelo Booster 7, em razão das falhas apresentadas, e opte por realizar os testes completos de fogo estático somente no Booster 8. Se a empresa tomar essa decisão, o lançamento orbital de estreia da Starship pode ficar para o fim do ano.

SpaceX atualizou o design da espaçonave Starship

Soma-se a tudo isso o fato de que ainda há muito trabalho pela frente para completar o protótipo 24 da Starship (S24). Isso porque essa, que é a versão mais atual da espaçonave, sofreu uma série de mudanças significativas de design e provavelmente precisa de pelo menos dois meses de testes para alcançar um nível básico de prontidão de voo.

Por último, mas não menos importante, há a questão do local de lançamento orbital (OLS) em si, que levanta muitas dúvidas cruciais. A plataforma de lançamento está pronta para sustentar um disparo estático do Super Heavy? A estrutura de tanques do bloco está apta a encher a Starship e o Super Heavy com milhares de toneladas de propelente criogênico inflamável e explosivo? Se a captura do gigante propulsor é um dos objetivos do voo de teste, os braços robóticos da torre de lançamento estão prontos para o pouso do veículo? 

Embora existam razões para acreditar que a resposta para algumas dessas perguntas seja “sim”, muita incerteza permanece e muitas etapas do trabalho ainda precisam ser concluídas.

Em última análise, a meta de Shotwell para junho é quase certamente inalcançável. O fim do mês de julho, no entanto, é uma possibilidade viável, mas somente no caso de todos os testes do Super Heavy B7 e da Starship S24 serem concluídos quase perfeitamente e sem mais atrasos. E isso, dado o histórico, é algo bastante improvável.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!