*André Lucena, de Toronto

Apple, Microsoft, Amazon, Meta, Netflix, TikTok, Uber, Pinterest… Estas são algumas das gigantes da tecnologia que estão ajudando a tornar a cidade de Toronto, no Canadá, o centro de tecnologia que mais cresce nas Américas.

publicidade

Assim como Toronto, Miami e Austin, nos Estados Unidos, também se aproveitam do momento em que o Vale do Silício – principal polo tecnológico do mundo – se tornou uma região com o custo de vida cada vez mais caro, também pelos altos salários pagos aos funcionários das big techs ali instaladas.

Leia mais:

Para se ter uma ideia do sucesso, Toronto criou 80 mil vagas no mercado digital em 2021, mais do que as metrópoles Nova York, Seattle e Boston juntas. Atualmente são 5.200 startups e 15 mil empresas de alta tecnologia instaladas na cidade localizada na província de Ontario.

A Meta prevê crescimento de 145% neste ano em seu escritório em Toronto. A empresa desembarcou na cidade em 2020 e, no ano passado, fechou com 19 clientes, superando a expectativa inicial de oito. Atualmente são 28 clientes, com expectativa de fechar o ano com 35. No total, são 95 pessoas trabalhando diretamente no local.

Responsável pelo escritório em Toronto, Marcos Machado conta que a Meta vem realizando o processo de migração de funcionários que estão no Brasil para o Canadá: “A pandemia nos trouxe um cenário de não ter mais fronteira para realizar as contratações, mesmo estando no Canadá, temos algumas pessoas atuando ainda do Brasil. Esse processo de migração dos funcionários é importante, pois além de criar uma experiência nova para as pessoas, suprimos nossas necessidades, na qual a mão de obra no setor de tecnologia tem carências como no Brasil”.

Collision, as “Olimpíadas da Tecnologia”

A importância cada vez maior de Toronto fez com que a Collision Conference, apelidada de “Olimpíadas da Tecnologia”, passasse a ser realizada na cidade em 2019, após cinco anos nos Estados Unidos. A edição 2022 do evento acontece entre os dias 20 e 23 de junho e terá cobertura in loco do Olhar Digital.

Serão mais de 33 mil participantes de 140 países, 1.250 startups, 1.200 jornalistas, 850 investidores e 600 palestrantes. Por conta da pandemia da covid-19, as edições de 2020 e 2021 foram realizadas apenas virtualmente. Neste ano, os quatro dias de evento abordarão temas relacionados ao metaverso, inteligência artificial, mudanças climáticas, medicina, automóveis e mobilidade, cibersegurança, educação, hardware e robótica, redes sociais, sustentabilidade, telecomunicações, entre inúmeros outros.

Entre as presenças confirmadas na Collision 2022 estão Lupita Nyong’o, atriz vencedora do Oscar e acionista da startup de mídia e tecnologia Kukua; Neil Patel, conhecido como o guru do marketing digital; e Carmelo Anthony, jogador da NBA e filantropo.

A edição de 2021 contou com a participação do ex-jogador de futebol David Beckham, além da atriz Nicole Kidman e do ator Ryan Reynolds. Paddy Cosgrave, CEO da Web Summit, que organiza a Collision, afirmou recentemente que “celebridades tiraram o foco” do verdadeiro propósito deste tipo de evento: conhecer negócios promissores. “O objetivo não é apresentar ao público pessoas que são famosas agora ou que foram famosas no passado, mas sim que serão conhecidas no futuro, daqui a cinco anos”, disse ele.

“O evento é uma reunião global de ideias provocativas, brilhantismo e dólares de investimento”, publicou o jornal americano HuffPost. Jornalistas de veículos como Wall Street Journal, Bloomberg, Financial Times, Forbes, CNN Business, CNBC, The Verge e CNET estarão presentes na conferência.

Argentina, Costa Rica, México e Porto Rico terão palestrantes no evento. Cris Cyborg, lutadora de MMA que nasceu em Curitiba, no Paraná, e se naturalizou americana, será a única brasileira a palestrar.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!