Diante de um cenário em que a falta de qualificação profissional se tornou um verdadeiro gargalo no setor de tecnologia, o Google anunciou que irá distribuir 500 mil bolsas de estudo para a formação de jovens até 2026. Os cursos serão focados na formação de profissionais em suporte de Tecnologia da Informação (TI), análise de dados, gerenciamento de projetos e design UX (User Experience ou experiência do usuário). 

Vagas para transexuais

Cerca de duas mil bolsas serão destinadas a pessoas que se autodeclararem transexuais. A expectativa é que a medida favoreça a inclusão social deste grupo no mercado de trabalho. Em nota, a Google informou que os jovens que não estão estudando no momento também poderão disputar as vagas. 

publicidade

“O processo de inscrição e seleção ocorrerá através do aplicativo do CIEE ONE (plataforma 100% gratuita), e os escolhidos serão acompanhados por uma monitoria exclusiva, que os auxiliará a concluir as certificações”, informou a empresa.

Todos os cursos foram criados pelo Google e estão hospedados na plataforma de educação da Coursera. “São cerca de 800 horas de aulas, considerando as quatro titulações juntas, com certificação, visando o preparo dos estudantes para ingresso em postos de trabalho no campo em constante crescimento profissional da tecnologia”, destacou a gigante da tecnologia.

Veja como usar o Google Scholar para sua pesquisa
Quem se aprimora nas profissões de tecnologia está em vantagem no mercado de trabalho; setor é o mais promissor do momento. Imagem: Yuri A / Shutterstock

Leia mais:

Inclusão social 

Ao incentivar a empregabilidade das pessoas trans, o Google pretende contribuir com a evolução da sociedade brasileira, tendo em vista que 90% dessa parcela da população atua no mercado informal.  

Com a formação, os alunos poderão disputar as mais de 500 mil vagas que deverão ser abertas somente no Brasil até 2025 no setor de tecnologia, ou seja, trata-se de uma oportunidade que certamente abrirá novos horizontes no futuro de milhares de jovens brasileiros. 

Via: Agência Brasil

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!