Uma máscara funerária de ouro que se acredita ter mais de três mil anos foi descoberta no túmulo de um antigo nobre na cidade de Zhengzhou, na China, sendo um dos mais antigos objetos desse material já encontrados na região central do país.

Com provavelmente mais de três mil anos, a máscara funerária de ouro foi encontrada na tumba de um antigo nobre da Dinastia Shang. Imagem: China News Service

A máscara tem 18,3 cm de comprimento e 14,5 cm de largura — grande o bastante para cobrir toda a face de um adulto, conforme afirmou Huang Fucheng, pesquisador do Instituto Municipal de Patrimônio Cultural e Arqueologia de Zhengzhou, ao serviço de notícias estatal China News Service. O artefato pesa cerca de 40 gramas.

De acordo com o jornal South China Morning Post (SCMP), o diretor da instituição, Gu Wanfa, disse que a máscara de ouro pode ter simbolizado que “o falecido tinha um corpo de ouro imperecível” e provavelmente tinha a intenção de manter o espírito da pessoa morta inteiro.

A tumba data da Dinastia Shang, que governou no vale do Rio Amarelo de cerca de 1600 a.C. a 1046 a.C., representando a primeira dinastia já registrada na China.

publicidade

Cobrindo uma área de mais de 10 mil metros quadrados, a tumba contém mais de 200 outros artefatos, incluindo objetos ornamentados de bronze e jade, como punhais, machados, vasos de vinho, cachimbos e taças de fumo. Arqueólogos também encontraram placas cravejadas de turquesa e moedas feitas de conchas.

Para Chen Lüsheng, vice-diretor do Museu Nacional da China em Pequim, a recém-descoberta tumba de Zhengzhou é um achado significativo para pesquisas sobre os rituais funerários da Dinastia Shang, podendo até fornecer uma nova visão sobre as origens da civilização chinesa.

Outra máscara funerária foi encontrada na China no ano passado, nas Ruínas de Sanxingdui, um sítio arqueológico na província de Sichuan, sudoeste do país, atribuída ao reino de Shu.

Leia mais:

Embora a máscara de Sanxingdui tivesse características faciais detalhadas, os arqueólogos disseram que ela estava presa a um manequim de madeira, e não a um corpo humano

Máscaras e outros artefatos de ouro são relativamente comuns de se encontrarem nas Ruínas de Sanxingdui, mas raros em locais da Dinastia Shang. No entanto, não está claro se a máscara Sanxingdui e a recém-descoberta em Zhengzhou têm alguma conexão.

“Embora essa máscara de ouro seja mais antiga do que as descobertas das Ruínas de Sanxingdui, ainda precisamos de mais evidências e um número maior de descobertas arqueológicas para confirmar uma conexão direta entre as ruínas de Shang e as de Sanxingdui”, disse Chen.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!