De acordo com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, a Rússia destruiu 30% das estações de energia elétrica do país, desde o dia 10 de outubro. Essa situação levou ao racionamento de energia elétrica em vários pontos da Ucrânia. Zelensky argumentou que essa ação russa faz parte de uma retaliação, já que um trecho da ponte responsável por ligar a Península da Crimeia à Rússia foi destruído.

Segundo autoridades ucranianas, outras três cidades sofreram novos ataques nas últimas horas desta terça-feira (18), e nelas os alvos também foram as infraestruturas energéticas. Essas ações causaram mortes e danos que levaram os governos iniciarem uma espécie de racionamento.

Leia mais:

No Twitter, o presidente da Ucrânia tipificou a estratégia de Moscou como um “ataque terrorista”. A postagem traz a seguinte mensagem: “Mirar em infraestruturas de energia e críticas. Desde 10 de outubro, 30% das estações de energia da Ucrânia foram destruídas, causando apagões maciços pelo país”, afirmou o presidente. “Não há espaço para negociações.”

publicidade

Na segunda-feira (17), ocorreram bombardeios que deixaram nove mortos. Dessas vítimas, cinco foram em Kiev, após ataques com drones kamikazes comprados do Irã. O vice-chefe do Gabinete presidencial, Kirilo Tymoshenko, declarou nas redes sociais que foram três ataques a uma usina energética, na margem esquerda do rio Dniéper, na capital do país, que causaram “danos sérios”.

Em um comunicado, o Ministério Público ucraniano declarou que os ataques perpetrados pelas Forças Armadas russas interromperam o fornecimento de água e energia em alguns pontos do país. Várias prefeituras corroboraram com essa declaração e detalharam quando e como aconteceram os ataques e a repercussão dentro de seus respectivos municípios.

No final de semana, projéteis chegaram a atingir um depósito de combustível e uma torre de energia elétrica em Belgorod. Em contrapartida, no sábado, uma ação a tiros considerada por Moscou como “terrorista” deixou 11 mortos no campo de treinamento do distrito militar de Uest, na mesma região. Um dia antes dessa ação, o presidente russo, Vladimir Putin, havia dito que não haveria novos ataques aéreos maciços à Ucrânia, já que seu objetivo não era “destruir” o país vizinho.

Racionamento de energia elétrica

Diante dessa nova configuração, Volodymyr Zelensky pediu para que a população reduza seu consumo de energia elétrica em horários de pico para “permitir que todo o país atravesse este período com maior estabilidade”. O objetivo é aliviar a malha energética do país enquanto os reparos necessários são feitos.

A situação em Kiev está complicada. Desde o início do dia havia alertas de apagões, e pessoas faziam fila em lojas para conseguir água fresca. Nas redes sociais, estabelecimentos comerciais divulgaram as medidas que estão tomando para reduzir o consumo desse recurso.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!