Cientistas conseguiram um feito raríssimo: viram o micróbio Legendrea loyezae. Esse organismo microscópico, descoberto em 1908, é tão difícil de ser encontrado que seria mais provável viajar para a Lua do que vê-lo. O estudo também observou mais de 500 microrganismos.

Ao estudar cada amostra de DNA coletada, os pesquisadores montam o quebra-cabeça da evolução e buscam desvendar como um organismo funciona. Por exemplo, alguns genes sugerem como um ser respira; ou pode dar informações sobre a posição desse organismo na taxonomia (árvore da vida). Há inúmeras outras informações que esses microrganismos podem fornecer.

Leia mais:

Para encontrar esses micróbios, a equipe demorou dois anos e enviou mais de mil amostras para investigação, nessa pesquisa. Geralmente, quem se empenha em fazer pesquisas com esse tipo de tem baixa variabilidade nas coletas de amostras, ou seja, focam em poucos ou até mesmo em apenas um local. Foram vasculhados lagos e lagoas em Varsóvia, na Polônia; sedimentos marinhos no Mar do Norte e no Mediterrâneo ao largo das costas da Itália e de Portugal; e os riachos de giz em Dorset, no Reino Unido. Foram mais de 500 espécies encontradas, incluindo as raras e novas.

publicidade

Apesar de abundantes e muito antigos, a ciência sabe muito pouco a respeito dessas pequenas criaturas. Cabe destacar que os microrganismos foram os primeiros predadores na Terra e foi graças a eles que a vida como é conhecida hoje foi possível de prosperar. Foram eles quem impulsionaram a evolução de uma nas primeiras eras da história da Terra. Assim como todo ser vivo, eles também fazem parte da cadeia alimentar, e seu desaparecimento pode causar um desequilíbrio ecológico sério.

Reprodução: bournemouthuni /YouTube

Ao observar a Árvore da Vida, nota-se como os organismos conhecidos estão relacionados uns com os outros, e como os micróbios representam a maior parte da vida na Terra. O loyezae é um microrganismo unicelular ciliado que faz parte do domínio Eukarya, ou seja, seres que são eucariontes (apresentam carioteca, a membrana que separa o núcleo celular do citoplasma). Para esse ciliado o oxigênio é letal, por isso ele vive em um ambiente aquático, com baixa quantidade de oxigênio. Muitos micróbios criam cápsulas para se proteger de ambientes hostis à sua sobrevivência.

Microrganismos são essenciais para a vida na Terra

A diversidade dentro desse grupo é gigantesca. Enquanto uns têm uma vida ativa, outros têm um estilo de vida sedentário. Enquanto uns têm uma vida conjunta, outros têm uma vida solitária, e isso torna a busca por determinadas espécies ainda mais difícil. Cada um tem a sua particularidade, o que torna esses seres únicos.

Seria impossível viver sem os micróbios, afinal eles são responsáveis pela sobrevivência de nossos ecossistemas e por sua recuperação após danos como poluição ou mudanças climáticas. Não é possível cultivar comida sem microrganismos. Eles limpam o esgoto. Alguns estão envolvidos na produção de antibióticos e outras drogas. Enfim, inúmeras aplicações essenciais para a sobrevivência.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!