Um artigo hospedado no servidor de pré-impressão arXiv, que está aguardando revisão por pares para ser publicado na revista Astronomical Journal, descreve a descoberta de um exoplaneta gigante orbitando uma estrela de rápida rotação.

É classificado como Júpiter quente todo exoplaneta gigante gasoso que seja fisicamente semelhante a Júpiter, mas com períodos orbitais curtos, transitando mais próximo de sua estrela hospedeira. Imagem: Nazarii_Neshcherenskyi – Shutterstock

A detecção foi possível usando o Satélite de Pesquisa de Exoplanetas em Trânsito (TESS, na sigla em inglês), da NASA, que revelou esse exoplaneta classificado como “Júpiter quente”. 

Essa classificação se refere a exoplanetas gigantes gasosos que são fisicamente semelhantes a Júpiter, mas que têm períodos orbitais muito curtos, com grande proximidade de suas estrelas e altas temperaturas em suas atmosferas. 

Estimado em quase três vezes mais massivo que Júpiter, o recém-descoberto mundo alienígena orbita uma estrela de rotação rápida conhecida como TOI-778. 

publicidade

TESS descobre mais de 6 mil possíveis exoplanetas

Cerca de 200 mil das estrelas mais brilhantes perto do Sol são examinadas pelo TESS, com o objetivo de identificar exoplanetas em trânsito. Até agora, são mais de 6.100 candidatos a exoplanetas TOI (sigla em inglês para Objetos de Interesse do TESS), dos quais 282 já foram confirmados.

Pesquisadores liderados por Jake T. Clark, da Universidade do Sul de Queensland, na Austrália, relataram que um sinal de trânsito foi identificado na curva de luz de uma estrela anã F3V de rotação rápida chamada TOI-778 (também conhecida como HD 115447). 

A natureza planetária do sinal foi confirmada por fotometria terrestre de acompanhamento e medições de velocidade. “O planeta candidato foi detectado pelo TESS durante o Setor 10, no primeiro ano de operação, enquanto pesquisava o céu do sul”, escreveram os astrônomos no artigo.

O planeta recém-descoberto, que recebeu a designação TOI-778 b, tem um raio de 1,37 raios de Júpiter e é aproximadamente 2,8 vezes mais massivo. Ele orbita sua estrela hospedeira a cada 4,63 dias, a uma distância de cerca de 0,06 UA (algo em torno de 75 milhões de km). A temperatura de equilíbrio desse planeta foi estimada em cerca de 1.290ºC.

Leia mais:

Migração tranquila no espaço

Em geral, os chamados “Júpiteres quentes” são semelhantes em características ao maior planeta do Sistema Solar, com períodos orbitais inferiores a 10 dias. Tais exoplanetas têm altas temperaturas de superfície, pois orbitam suas estrelas-mãe muito de perto. TOI-778 b parece ser um pouco inflado quando comparado a outros “Júpiteres quentes” de massas semelhantes.

A estrela-mãe TOI-778 tem velocidade de rotação a um nível de quase 40 km/s. Ela é cerca de 71% maior e 40% mais massiva que o Sol. Os pesquisadores estimam que tenha cerca de 1,95 bilhão de anos e que sua temperatura efetiva seja de aproximadamente de 6.426ºC a 6526ºC. A distância até a estrela foi medida em cerca de 528 anos-luz.

Segundo o site Phys, o estudo também descobriu que a órbita TOI-778 b é quase alinhada com o equador estelar, com uma obliquidade projetada no céu de 19 graus. Assim, os astrônomos supõem que este planeta migrou tranquilamente através do disco de seu hospedeiro, em vez de atingir sua localização atual através de meios mais caóticos.

“O TOI-778 b se junta a um grupo de outros Júpiteres quentes com órbitas bem alinhadas, sugerindo que a migração do disco é o caso provável de sua evolução para suas posições atuais”, concluíram os autores do artigo.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!