A Chevrolet estreou oficialmente no BBB 23 ocupando o lugar da Fiat, marca que patrocinou todas as outras edições do reality show. Nesta quinta-feira (26), a nova picape Montana 2023 foi a estrela da Prova do Líder, movimentando as redes sociais e ficando entre os assuntos mais comentados do Twitter — a Fiat inclusive aproveitou a oportunidade para presentear um usuário com uma Toro 0 km.

Fora da casa, a briga entre as picapes promete ser acirrada. Pensando nisso, separamos abaixo alguns itens que a Montana ganha e perde da sua principal rival.

Leia mais:

Equipamentos de fábrica

Na lista de itens de segurança, a Montana inclui seis airbags, faróis de LED, sensor e câmera de ré e assistente de partida em rampas. A picape da GM conta ainda com ar-condicionado automático, central multimídia de 8” com Android Auto e Apple CarPlay sem fio, carregador de celular por indução, Wi-Fi e o aplicativo ‘myChevrolet’, que permite controlar algumas funções do carro pelo celular.

publicidade
Nova Chevrolet Montana 2023.
Imagem: Chevrolet/Divulgação

O empate é quase técnico com a Toro. A principal diferente é que alguns itens acima, como o Wi-Fi, são vendidos como opcionais pela Fiat, mesmo na versão Volcano, a topo de linha do veículo.

Quando o assunto é assistência de direção, a Montana Premier também sai na frente, com alerta de colisão, frenagem de emergência e sensor de ponto cego. Mais uma vez a Toro só ganha esses recursos na Volcano ou investindo quase R$ 6 mil no ‘Pacote Tecnologia’ da Fiat.

Espaço na caçamba

A picape da GM aposta em um conceito diferente de caçamba chamado ‘Multiflex’. Segundo a Chevrolet, ela funciona quase como um porta-malas e permite ajustar o espaço com divisórias para levar desde bagagem a compras de supermercado, por exemplo. A Toro, mesmo equipada com acessórios extras, ainda não oferece algo parecido.

Nova Chevrolet Montana 2023.
Imagem: Chevrolet/Divulgação

Em volume bruto, no entanto, o modelo da Fiat ganha. A picape da Chevrolet tem capacidade para 874 litros, contra 937 litros da concorrente. A Toro também é a maior, com 4,94 metros de comprimento e 1,84 metro de largura contra 4,72 metros de comprimento e cerca de 1,8 metro de largura da Montana.

Motor e potência

Neste quesito, a Toro brilha mais que a rival. Seu motor 1.3 quatro-cilindros produz até 185 cv rodando com etanol (180 cv com gasolina) e, segundo a Fiat, vai de 0 a 100 km/h em pouco mais de 10 segundos

Já o 1.2 de três cilindros da Montana gera 133 cv no álcool (132 cv com gasolina). Mais números de desempenho ainda não foram revelados pela GM.

E o consumo de combustível?

A Montana assume a ponta aqui, fazendo em média 7 km/l (etanol) e 11,1 km/l (gasolina), contra, 6,8 km/l e 9,7 km/l da Fiat Toro, respectivamente, na cidade.

Na estrada, o mesmo se repete. A Montana fica com 9,3 km/l e 13,3 km/l contra 8,2 km/l e 11,6 km/l da Toro.

Preço

Agora, vamos a um dos quesitos mais importantes: qual pesa mais no bolso? A nova Montana chegou em dezembro por R$ 134.490 mil na versão LTZ Turbo e R$ 140.490 pela Premier Turbo na pré-venda. A dupla vem equipada com o motor 1.2 turboflex e câmbio automático.

Ambas são menos cara que a Toro Endurance T270. O modelo de entrada sai a partir de R$ 143.500. Já a Volcano, a variante topo de linha da picape da Fiat, sobe para R$ R$ 169.500.

Vale mencionar que a Montana terá ainda uma variante mais básica com o mesmo motor, entretanto, com câmbio manual de seis velocidades e preço mais “camarada”. Todos os preços acima são referentes a dezembro de 2022.

Imagem: Chevrolet/Divulgação

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!