Destruição e morte. Essa é a paisagem deixada pela maioria dos cinco maiores (e piores) terremotos da história. Os tremores racharam o chão, derrubaram construções e ceifaram vidas da Rússia ao Chile.

O terremoto é um tipo de tremor intenso e passageiro. Ele acontece por conta de fenômenos geológicos na litosfera. Para quem está na superfície terrestre, isso pode significar catástrofe. Agora, o Olhar Digital te mostrará as cinco piores acontecimentos do tipo.

Leia mais:

Esta lista usou a Escala de Richter para classificar a “grandeza” dos terremotos, organizados em ordem crescente. Desenvolvida pelo estadunidense Charles Richter (1900-1985), ela vai de um (muito fraco) a dez graus de magnitude (muito forte).

publicidade

5 – Península de Kamchatka, Rússia (1952)

Cidade destruída após terremoto na Rússia
O terremoto que atingiu a península russa não matou ninguém, mas causou estragos (Foto: Creative Commons)

Escala de Richter: 9 graus de magnitude

A década de 1950 começava e a vida dos poucos habitantes na Península de Kamchatka – localizada no leste da Rússia, perto do Estreito de Bering – seguia pacata. Aí, veio um terremoto fortíssimo para chacoalhar tudo. Embora tenha causado prejuízos, ninguém morreu. E deu para sentí-lo até na ilha do Havaí.

4 – Península de Oshika, Japão (2011)

Cidade destruída após terremoto no Japão
Este terremoto causou estragos, mortes e um tsunami que engoliu uma usina nuclear (Foto: DFID/Wikimedia Commons)

Escala de Richter: 9 graus de magnitude

Quase 60 anos depois, um terremoto tão forte quanto o da península russa atingiu a Península de Oshika, na região do Tohoku, no Japão. Apesar da intensidade ter sido igual, os estragos foram maiores. O tremor matou mais de 13 mil pessoas; danificou ferrovias e rodovias; e causou um tsunami que engoliu a Usina Nuclear de Fukushima.

3 – Ilha de Sumatra, Indonésia (2004)

Cidade destruída após terremoto na Indonésia
Este terremoto causou um tsunami e, juntos, mataram 226 mil pessoas em 14 países (Foto: The U.S. National Archives)

Escala de Richter: 9,1 graus de magnitude

Esse abalo sísmico fortíssimo atingiu a ilha de Sumatra, na Indonésia, no começo dos anos 2000. E foi só o começo. Acompanhado de um tsunami, o terremoto matou 226 mil pessoas em 14 países da região. Por conta dele, o termo “tsunami” ficou popular no mundo. O fenômeno ficou conhecido como “Sismo e tsunami do Oceano Índico de 2004”.

2 – Alasca, EUA (1964)

Cidade destruída após terremoto no Alasca
Este terremoto matou mais de 100 pessoas e destruiu cidades (Foto: The U.S. National Archives)

Escala de Richter: 9,2 graus de magnitude

O terremoto matou 125 pessoas no Alasca, na década de 1960. Todos os tremores registrados após este não chegaram a essa intensidade – mas deixaram rastros de destruição piores. Esse abalo sísmico causou deslizamentos de terra e um tsunami por lá.

1 – Valdívia, Chile (1960)

Cidade destruída após terremoto no Chile
O tremor gerou um tsunami com ondas de até dez metros e matou mais de duas mil pessoas (Foto: AP)

Escala de Richter: 9,5 graus de magnitude

Este é, até hoje, o terremoto mais forte já registrado. O tremor, de 9,5 graus de magnitude na Escala de Richter, atingiu principalmente Valdivia, cidade a 740 km ao sul da capital do Chile, no começo da década de 1960. Ele gerou um tsunami com ondas de até dez metros e matou mais de duas mil pessoas. As ondas gigantes apagaram cidades inteiras do mapa.

Fonte: Mundo Educação

Foto de destaque: Flickr

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!