O TikTok disse ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que removeu mais de 10,4 mil vídeos que incitavam a violência e a desinformação desde o ato golpista na Praça dos Três Poderes, em Brasília, que aconteceu no dia 8 de janeiro.

No documento entregue ao TSE, a rede social informou que, entre os dias 8 e 15 de janeiro, foram removidos:

publicidade
  • 1.304 vídeos que violavam a política de extremismo violento da empresa.
  • 5.519 vídeos que violavam a diretriz de desinformação.
  • Outros 3.614 vídeos com conteúdos de desinformação eleitoral.

Leia mais:

A parceria ente TikTok e TSE

Em fevereiro do ano passado, o TikTok firmou uma parceria com o TSE para combater a disseminação de informações falsas durante o período eleitoral. A empresa se comprometeu a criar uma página na rede social com informações educativas e confiáveis sobre as eleições.

publicidade

O resultado dessa parceria foi o Guia de Eleições 2022, página do TikTok que teve cerca de 6,8 milhões de acessos entre fevereiro e novembro de 2022.

A rede social também anunciou a criação de um canal para denúncias sobre disseminação de conteúdos falsos, se comprometendo a apurar denúncias e remover fake news.

publicidade

Remoção de conteúdo

O documento também revelou que, entre 15 de fevereiro e 31 de dezembro de 2022, o TikTok recebeu do TSE 128 links para análise. Do total, 106 foram deletados por violar as políticas da plataforma.

Entre 16 de agosto e 31 de dezembro, removemos 66.020 vídeos que foram identificados como violativos de nossa política de desinformação sobre eleições, dos quais 91,1% foram detectados proativamente, e 79% foram removidos sem que tivessem uma única visualização.

Comunicado do TikTok

Com informações de UOL, TSE e TikTok

publicidade

Imagem destaque: rafapress / Shutterstock.com

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!