Famoso por ter revelado a primeira imagem real de um buraco negro e a primeira imagem do buraco negro da Via Láctea, o Event Horizon Telescope (EHT), um conjunto de telescópios composto por antenas de rádio espalhadas por todo o mundo, flagrou um quasar distante chamado NRAO 530, cuja luz – uma das mais brilhantes do Universo – viajou por 7,5 bilhões de anos para chegar até aqui.

Quasares (abreviação de “fontes de rádio quase-estelares”) são um tipo núcleo galáctico que os astrônomos presumem ser alimentado por um buraco negro supermassivo muito ativo no centro, cercado por material que é furiosamente absorvido por ele.

publicidade
Imagens dos NRAO 53o produzidas a partir de diferentes aplicativos de processamento de dados. Crédito: Jorstad et al., ApJL, 2023

Sobre o quasar fotografado pelo EHT:

  • O NRAO 530 é um núcleo galáctico ativo que tem matéria caindo sobre ele em um ritmo furioso;
  • Ele não emite luz, assim como os outros buracos negros, no entanto a gravidade e o atrito causados por ele aquecem tanto o material no entorno que ele brilha intensamente;
  • Além disso, parte do material é canalizado nas linhas do campo magnético para fora do horizonte de eventos, não sendo consumida pelo buraco negro;
  • Esse material excedente é disparado como jatos de plasma e viaja a uma porcentagem significativa da velocidade da luz, conhecida como velocidade relativística.

Leia mais:

publicidade

Telescópio de horizonte de eventos

O EHT foi responsável por fornecer a primeira imagem de um buraco negro da história. Em 2019, ele fotografou o coração da galáxia M87, a 55 milhões de anos-luz de distância. Mais recentemente, no ano passado, ele também capturou o núcleo galáctico da Via Láctea, o buraco negro Sagittarius A*.

Conforme destaca o site Science Alert, as observações duraram anos antes de finalmente termos essas imagens formadas. A investigação do quasar NRAO 530 começou em 2017, com o intuito de calibrar o poderoso radiotelescópio. Como esse quasar é próximo do Sagittarius A* quando visto no céu, ele é um objeto de calibração popular da Via Láctea.

publicidade

O tamanho efetivo do telescópio entrega detalhes sem precedentes desses objetos, como pontua um dos líderes da pesquisa, Maciek Wielgus, do Instituto Max Planck de Radioastronomia, na Alemanha.

A luz que vemos viajou em direção à Terra por 7,5 bilhões de anos através do Universo em expansão, mas com o poder do EHT vemos os detalhes da estrutura da fonte em uma escala tão pequena quanto um único ano-luz

Maciek Wielgus, em resposta a Science Alert

NRAO 530 é um quasar “variável opticamente violenta”, tipo raro de quasar conhecido por ter um jato poderoso e extremamente veloz. Também é categorizado como um blazar (por ter energia compacta e altamente variável).

publicidade
Representação artística de um núcleo galáctico com buraco negro no centro classificado como quasar. Imagem: Orin – Shutterstock

Esse é um blazar orientado de tal forma que o jato é apontado diretamente ou quase diretamente para a Terra – o que não representa perigo.

A partir de suas observações, a equipe foi capaz de determinar a polarização da luz emitida por diferentes partes da estrutura. Isso se refere à orientação das oscilações da luz, que podem ser afetadas pelos campos magnéticos pelos quais ela viaja.

Até agora, NRAO 530 é o objeto mais distante já observado pelo EHT e pode permitir que mais detalhes impressionantes de objetos distantes possam ser observados no futuro, além de apoiar futuras pesquisas sobre blazares e quasares.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!