A água é essencial para a vida, mas antes de chegar a torneira de casa ela precisa passar por um meticuloso processo de tratamento. Uma das etapas é a floculação, onde são removidos patogênicos microscópicos do líquido. Agora, uma equipe de pesquisadores desenvolveu uma técnica para otimizar esse processo.

  • A água, antes de tratar contém patogênico microscópicos que não são facilmente removidos, por isso ela precisa passar pelo processo de floculação;
  • Nessa etapa do tratamento de água, são adicionados produtos químicos coagulantes que vão formar flocos, grandes aglomerados de patogênicos, que ficaram suspensos sobre a água e podem ser facilmente filtrados;
  • No entanto, o problema da floculação está na mistura dos produtos químicos. Se eles foram mal misturados, a formação de flocos não ocorre. Se for muito intensa, os aglomerados se formam, mas facilmente se desfazem.

Para resolver esse problema, pesquisas anteriores dividiram a monitoração dessa etapa do tratamento da água em duas fases. Uma em que primeiro eram adicionadas partículas artificiais de características conhecidas e a mistura era monitorada. Na segunda, um novo experimento era feito com as mesmas configurações e os flocos de patogênicos – “reais” – eram monitorados.

Leia mais:

Novo método de tratamento de água

Agora, o novo método publicado recentemente na revista ACS ES&T Engineering pelos cientistas da Texas A&M University monitora essa etapa do tratamento em uma única fase. A técnica observa o tamanho e a forma dos flocos e a intensidade em que os produtos químicos estão sendo misturados. 

publicidade

A etapa de floculação é a que consome mais energia no processo de tratamento de água. A pesquisa pode ser utilizada para remover com êxito os microrganismos patogênicos de forma otimizada.

Desenvolvemos uma técnica totalmente nova para monitorar de forma não intrusiva a mistura, para que possamos controlá-la com precisão, quantificar as heterogeneidades dentro do reator e potencialmente otimizá-lo para criar flocos com as características desejadas e, ao mesmo tempo, minimizar o consumo de energia

Dr. Kuang-An Chang, coautor da pesquisa, em resposta a Phys.

Além da energia, a nova técnica desenvolvida na pesquisa também vai reduzir pela metade o trabalho gasto nessa etapa do tratamento de água.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!