O acordo entre a gigante chinesa BYD e o governo da Bahia vai além da instalação de fábricas para produção de veículos. A empresa, referência no mercado global de carros híbridos e elétricos, também atua em outros ramos, como o de energia limpa e de VLTs (os Veículos Leves sobre Trilhos).

Tirando proveito disso, a Skyrail Bahia, um dos braços da BYD, também será responsável por aposentar a frota de trens a combustão do Subúrbio Ferroviário de Salvador e implementar VLTs totalmente elétricos.

Leia mais:

O projeto é fruto de um contrato firmado em 2019 entre a BYD e o Governo do Estado da Bahia e prevê gastos avaliados atualmente na ordem de R$ 5,2 bilhões para a implantação, operação e manutenção do VLT.

publicidade

A primeira fase depende da construção de um percurso que terá 21 estações e 19,2 km de extensão. Já a segunda, inclui outras cinco estações e mais 4,08 km de trilhos — o sistema de trens do subúrbio da capital é da década de 70 e cobre atualmente 13,6 km. As informações são da Colunista do Uol, Paula Gama.

Mais detalhes sobre o VLT

  • O VLT transportará cerca de 172 mil pessoas por dia quando estiver operando.
  • Segundo as informações da Skyrail Bahia, o veículo usará baterias com vida útil de 10 anos. 
  • A estrutura do trem, desenhada com foco em aerodinâmica, será feita de alumínio, reduzindo o peso e o arrasto.
  • A primeira fase de implantação VLT interligará o bairro do Comércio até Simões Filho.
  • Já a segunda etapa vai integrar o VLT com o metrô de Salvador, levando até a estação Acesso Norte. 
Imagem: Divulgação/Skyrail

Obras em atraso

Segundo o governo da Bahia, o prazo inicial de conclusão das obras era de dois anos e três meses, com início previsto para fevereiro de 2021. Em tese, tudo deveria estar pronto até maio deste ano. Até o momento, apesar de assumir o atraso, ainda não foi apresentado um novo prazo de conclusão.

Imagem principal: Robert Way/Shutterstock

Com informações do Uol

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal