Cerca de 300 milhões de empregos podem ser automatizados de alguma forma em meio à onda de inteligência artificial (IA), que gerou ferramentas poderosas como o ChatGPT.

A projeção recente é resultado de um estudo feito por analistas do banco Goldman Sachs. 

O que foi descoberto pelos especialistas

  • O relatório divulgado no último domingo (26) revela que pelo menos 18% dos cargos de trabalhos pelo mundo podem ser afetados pela tecnologia.
  • A mudança deve acontecer primeiro nas economias mais fortes e depois em países emergentes, apontam os especialistas.
  • Nos Estados Unidos e na Europa, por exemplo, dois terços dos empregos atuais “estão expostos a algum grau de automação” e até um quarto de todo o trabalho pode ser realizado 100% por inteligência artificial, estima o estudo.
  • Quem ocupa cargos na área administrativa e de advocacia, serão os mais afetados. Já o ramo de construção, por sua vez, sentirá apenas um “pequeno efeito”. 
Robô trabalhando no computador ao lado de funcionários humanos
Imagem: VesnaArt/Shutterstock

De qualquer maneira, o impacto global no mercado de trabalho pode ser perturbador e ganhará força quando a IA generativa (como a do próprio ChatGPT) conseguir cumprir mais funções do que responder perguntas e redigir textos.

publicidade

Leia mais:

O outro lado da moeda

A boa notícia é que os analistas também observam que historicamente a inovação no mundo da tecnologia também gerou empregos, como aconteceu com a criação dos motores elétricos e do computador pessoal, por exemplo. 

“Embora o impacto da IA ​​no mercado de trabalho seja provavelmente significativo, a maioria dos empregos está apenas parcialmente exposto à automação”, explica o relatório.

Entre os americanos, por exemplo, só de 25% a 50% da carga de trabalho “poderá ser substituída” pela tecnologia. No fim, com mais tempo livre, a expectativa é que também seja observado um salto expressivo em produtividade.

Com informações da CNN

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!