Um importante marco na busca da Índia por acesso de baixo custo ao espaço foi alcançado no último fim de semana. Pela primeira vez, o país pousou um protótipo de seu avião espacial reutilizável autônomo.

No domingo (2), a Organização Indiana de Pesquisa Espacial (ISRO), como é chamada a agência espacial da Índia, anunciou que havia completado o segundo de quatro experimentos projetados para preparar o Veículo de Lançamento Reutilizável robótico (RLV) para ser lançado ao espaço.

Esse mais recente experimento, designado Missão de Aterragem Autônoma de Veículos de Lançamento Reutilizáveis (RLV LEX), foi realizado em uma instalação de teste de propriedade da Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa (DRDO), em Karnataka, no sul do país. 

Como parte da missão, o avião espacial de 6,5 metros foi transportado por um helicóptero Chinook, pilotado pela Força Aérea Indiana, a uma altitude de 4,5 km, e liberado no ar às 22h10 de sábado (1), pelo horário de Brasília. Então, o protótipo, um veículo em miniatura que ainda está em desenvolvimento, demonstrou sua capacidade de realizar uma série de manobras que o ajudaram a pousar com segurança 30 minutos depois, na pista operada pela mesma instalação de teste.

publicidade

Leia mais:

Com o LEX, o sonho de um veículo de lançamento reutilizável indiano chega um passo mais perto da realidade

Organização Indiana de Pesquisa Espacial (ISRO), em comunicado.

Segundo a agência, o país estabeleceu um recorde usando um helicóptero para levantar um objeto alado a 4,5 km de altura.

A ISRO afirma ainda que as condições avaliadas durante o teste, como a alta velocidade de pouso do avião espacial, de 350 km/h, são semelhantes ao que um veículo de lançamento reentrando na atmosfera da Terra a partir do espaço sideral experimentaria.

De acordo com o site Space.com, o primeiro teste, chamado Experiência de voo hipersônico (HEX), foi realizado em maio de 2016. Na época, a ISRO havia testado o protótipo do avião espacial lançando-o no topo de um foguete HS9, que depositou o veículo de 1,5 tonelada na atmosfera mais baixa da Terra. Minutos depois, o avião mergulhou em um lugar pré-determinado na Baía de Bengala.

Em janeiro de 2021, a ISRO revelou planos para desenvolver uma tecnologia de lançamento de foguetes reutilizáveis antes do fim desta década. Para a agência, esse é “um dos empreendimentos tecnologicamente mais desafiadores da ISRO”.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!