A Netflix fechou o primeiro trimestre do ano com resultados abaixo do esperado. A gigante do streaming teve um lucro líquido de US$ 1,3 bilhão, uma queda de 18% em relação ao mesmo período em 2022, e aumentou em apenas 4% o número de novos assinantes. As informações foram disponibilizadas no relatório de ganhos da empresa, divulgado nesta terça-feira (18).

Leia mais:

Primeiro trimestre de 2023

  • O relatório de ganhos mostrou que a média de assinaturas pagas da Netflix, que aumentou em 4% em relação ao ano passado, corresponde a cerca de 1,75 milhão de novos assinantes.
  • O número ainda é abaixo do esperado; projeções giravam em torno de 2 milhões.
  • Agora, a Netflix totaliza 232,5 milhões de assinaturas no mundo todo.
  • A empresa revelou que a estratégia de restringir o compartilhamento de senhas teve sucesso no Canadá, Espanha, Portugal e Nova Zelândia; locais onde o número de assinantes cresceu.
  • A América Latina registrou uma queda de assinaturas.
  • Quanto à receita, a Netflix fechou em alta de 3,7% entre janeiro e março na comparação com 2022, o que representa US$ 8,1 bilhões.
  • O lucro da companhia atingiu US$ 1,3 bilhão.
  • Já as ações da empresa também recuaram, indo de US$ 3,53 no primeiro trimestre de 2022 para US$ 2,88 em 2023.
  • Após a divulgação do relatório, na terça, as ações caíram mais ainda: 11% na bolsa de valores de Nova Iorque.
  • Nesta quarta-feira (19), as ações da gigante de streaming diminuíram mais 2,9%.

Contexto do streaming

A oscilação da hegemonia da Netflix vem em meio a uma competição acirrada entre streamings, a tentativa de engatar um negócio de transmissões ao vivo (que, em sua segunda oportunidade, falhou) e uma possível greve dos roteiristas de Hollywood.

O co-CEO da Netflix, Ted Sarandos, descreveu o período entre janeiro e março de 2023 como “um trimestre normal”.

publicidade

Fim do envio de DVDs

  • No relatório, a empresa também anunciou que deu adeus a seus últimos resquícios de locadora: depois de 25 anos, o envio de DVDs por correio acabou.
  • Agora, a empresa segue apenas no ramo em que (ainda) é a maior, o streaming.
  • Antes de se consolidar como o primeiro streaming, o negócio da Netflix girava em torno de alugar DVDs e enviá-los pelo correio, em um típico envelope vermelho e branco.
  • No auge, em 2010, o negócio tinha cerca de 20 milhões de assinantes.
  • Os últimos DVDs serão enviados aos clientes em 29 de setembro.
  • A empresa não chegou a divulgar números de quantas pessoas ainda assinam o serviço.

Ted Sarandos aproveitou para agradecer os usuários em uma carta.

Aqueles envelopes vermelhos icônicos mudaram a maneira como as pessoas assistiam a programas e filmes em casa — e abriram caminho para a mudança para o streaming. Para todos que já adicionaram um DVD à fila ou esperaram na caixa de correio a chegada de um envelope vermelho: obrigado.

Ted Sarandos

Com informações de The New York Times

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!