O Relatório de Inteligência de Ameaças DDoS do segundo semestre de 2022 na América Latina revelou que o Brasil é o maior alvo de ataques cibernéticos de organizações criminosas, com crescimento de 19% em relação ao primeiro semestre do ano anterior. O levantamento é da Netscout System, empresa de soluções de cibersegurança, e analisa o impacto dos ciberataques em instituições do mundo todo.

Invasões no Brasil

Os dados levantados pelo relatório mostram que o Brasil segue como o maior alvo das organizações criminosas cibernéticas. O país encabeça o ranking de ataques DDoS (sigla para Distributed Denial of Service, que significa um tipo de ataque cibernético de grande dimensão), com 285,5 mil ocorrências (39,23% dos 686 de toda a região).

Leia mais:

Segundo reportado, os principais alvos dos cibercriminosos são instituições de telecomunicação sem fio (33,5 mil casos) e telecomunicação com fio (10,05 mil casos) brasileiras. Outros setores, como servidores de processamento de dados (7,5 mil), agências e corretoras de seguros (7,07 mil) e empresas locais de transporte de cargas (dois mil) também atraem a atenção dos grupos criminosos.

publicidade

Os ataques duram, em média, 16 minutos e têm força máxima de 288,16 GB por segundo.

Mais informações do relatório

  • Na América Latina como um todo, 49% das invasões duraram de cinco a 15 minutos;
  • O foco principal é a telecomunicação sem fio (48,4 mil ocorrências), com fio (41,9 mil) e servidores de processamento de dados (11,3 mil);
  • Globalmente, os ataques aumentaram 13% em relação ao primeiro semestre de 2022, totalizando 6,7 milhões de intrusões;
  • Dessas, 2,1 milhões aconteceram em países da Europa, Oriente Médio e África;
  • O setor de segurança nacional dos Estados Unidos registrou aumento de 16,815% nos ataques relacionados ao grupo pró-Rússia Killnet, incluindo auge após as observações públicas do presidente Joe Biden na Cúpula do G7 e outro no mesmo dia em que os presidentes francês e americano reafirmaram seu apoio à Ucrânia.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!