A Biofire Tech, com sede no Colorado, EUA, está recebendo pedidos de arma inteligente habilitada pela tecnologia de reconhecimento facial, o mais recente desenvolvimento em armas personalizadas que só podem ser disparadas por usuários verificados.

Mas, em sinal do caminho longo e desafiador que as armas inteligentes enfrentaram, um protótipo falhou duas vezes ao ser demonstrado para a Reuters nesta semana.

Leia mais:

O fundador da empresa e presidente-executivo, Kai Kloepfer, disse que o software e a eletrônica foram totalmente testados e que a falha estava relacionada à arma mecânica que foi feita a partir de peças de pré-produção e protótipos.

publicidade

Em outros momentos durante a demonstração, a arma disparou com sucesso e a tecnologia de reconhecimento facial pareceu funcionar.

A arma do Biofire também pode ser habilitada por leitor de impressão digital, um dos vários recursos de armas inteligentes projetados para evitar tiros acidentais por crianças, reduzir suicídios, proteger a polícia de apreensão de armas ou inutilizar armas perdidas e roubadas.

As primeiras versões prontas para o consumidor da arma de 9 mm podem ser enviadas para clientes que encomendaram já no quarto trimestre deste ano, com o modelo padrão de US$ 1,49 mil possivelmente disponível no segundo trimestre de 2024, disse a Biofire.

Imagem: Divulgação/Biofire Tech

Isso poderia torná-la a primeira arma inteligente disponível comercialmente nos EUA desde que a Armatix foi brevemente colocado à venda em 2014. Pelo menos duas outras empresas americanas, LodeStar Works e Free State Firearms, também estão tentando colocar uma arma inteligente no mercado.

Em demonstração na sede da Biofire em Broomfield, Colorado, Kloepfer inicialmente disparou sem problemas e abaixou a arma. Em seguida, outro homem, usuário não autorizado, tentou atirar, mas não conseguiu, pois a arma não reconheceu seu rosto nem sua impressão digital, como pretendia o recurso de segurança.

Kloepfer então voltou para disparar novamente. Foi nesse ponto que a arma disparou inesperadamente em duas ocasiões, embora tenha disparado nos puxões subsequentes do gatilho. Em seguida, outro protótipo foi trazido e essa arma funcionou conforme planejado.

Muitos entusiastas de armas tornaram-se céticos em relação à tecnologia de armas inteligentes, preocupados com o fracasso quando uma arma é necessária para autodefesa a qualquer momento.

Não apenas construí um produto, mas toda uma empresa ao redor: como podemos construir um produto extremamente confiável que sempre será desbloqueado para você a qualquer momento que você o pegar e nunca será desbloqueado quando seu filho o encontrar.

Kai Kloepfer, fundador e presidente-executivo da Biofire Tech

Com informações de Reuters

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!