O Match Group, dona do Tinder, apresentou na terça-feira (2) uma previsão financeira para o segundo trimestre da empresa. Aos acionistas, a companhia disse que, embora sua receita deva ficar abaixo das expectativas de analistas, o grupo vê sinais de crescimento para o app de relacionamento

Resumo: 

publicidade
  • Segundo relatório, a melhora nos resultados do Tinder vem após mudanças na execução de produtos e marketing da plataforma; 
  • As otimizações ainda não são visíveis nos resultados financeiros, mas há um maior impulso desde que as novas estratégias foram estabelecidas; 
  • As ações da empresa, cuja receita por usuário pagante cresceu cerca de 2% em relação ao ano anterior, subiram 3% em negociações voláteis após o fechamento. 

Leia mais! 

A companhia pontuou, no entanto, que os usuários pagantes e a receita direta do Tinder mudaram pouco no primeiro trimestre em relação ao ano anterior.  

publicidade

Para o analista da Third Ponte, Nicholas Cauley, embora os aplicativos de namoro online estejam há muito tempo resistindo às oscilações econômicas, eles estão “começando a sentir a pressão do aperto nas carteiras e na ARPU (receita média por usuário), que deve cair em todo o setor durante o restante de 2023”. 

A Match registrou receita de US$ 787 milhões no primeiro trimestre do ano, encerrado em 31 de março — a estimativa média dos analistas era de US$ 793,8 milhões. Para o próximo período, a empresa prevê receita entre US$ 805 milhões e US$ 815 milhões, em comparação com a estimativa de US$ 822,3 milhões, segundo a Refinitiv. 

publicidade

Tinder irá encerrar operações na Rússia 

Entre as mudanças aplicadas pela Match, está a verificação contra golpistas, a chegada do novo modo anônimo e ainda a saída da plataforma do mercado da Rússia. A empresa anunciou esta semana que até 30 de junho irá encerrar seus serviços no país diante da necessidade da marca de proteger os direitos humanos. O Tinder é mais um entre tantos a restringir as operações no território após o início da guerra contra a Ucrânia

Com informações da Reuters 

publicidade

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!