A China ordenou que a Tesla, fabricante de veículos elétricos de Elon Musk, faça recall de 1,1 milhão de veículos. Regulador do mercado chinês acusou problema nos sistemas de aceleração e frenagem de certos modelos fabricados tanto no país quanto no exterior.

Leia mais:

Órgão anunciou decisão após investigar relatos do defeito, segundo comunicado divulgado nesta sexta-feira (12). Veículos recolhidos incluem alguns Model S, Model X e Model 3 importados, bem como veículos Model 3 e Model Y fabricados na China entre 12 de janeiro de 2019 e 24 de abril de 2023.

Falha perigosa

Carro da Tesla andando na rua
(Imagem: Matt Weissinger/Pexels)

Questão envolve sistema de frenagem regenerativa dos veículos da fabricante de Musk. Ele gera eletricidade a partir do movimento do carro quando o motorista tira o pé do acelerador.

publicidade

A Administração Estatal de Regulamentação do Mercado disse, num comunicado, que esses carros da Tesla podem não fornecer aviso quando motorista pressiona o acelerador com força por um longo período. Defeito pode aumentar risco de colisões, apontou o comunicado.

Ainda de acordo com o comunicado, a Tesla disse que consertaria veículos com uma atualização de software.

Recalls começarão em 29 de maio e a Tesla notificará os proprietários de carros relevantes por correio ou mensagem de texto. O regulador da China não disse quantos dos Teslas recolhidos foram importados.

Recalls da Tesla

Carros da Tesla estacionados
(Imagem: Getty Images)

Este é o segundo recall da Tesla na China nos últimos meses. Em março, a Tesla fez o recall de 2.649 veículos fabricados entre outubro de 2015 e agosto de 2020, após órgão regulador da China apontar que capôs ​​de certos veículos Model S importados corriam risco de abrir enquanto o veículo estava em movimento. Isso, claro, aumentava risco de colisões.

A China é um mercado significativo para a Tesla, com receita do país aumentando para US$ 18,2 bilhões (aproximadamente R$ 91 bilhões, na cotação atual) em 2022, de US$ 13,8 bilhões (R$ 69 bilhões) em 2021.

A Tesla também enfrentou problemas com reguladores dos EUA. Em fevereiro, montadora de Elon Musk fez recall de mais de 362 mil carros equipados com seu sistema de direção autônoma. Medida veio após a Administração Nacional de Segurança no Tráfego Rodoviário constatar que esse sistema aumentava risco de acidentes.

Direção autônoma

Carro da Tesla em exibição com um rapaz dentro e outro olhando
(Imagem: Getty Images)

O sistema da Tesla pode dirigir, acelerar, frear e mudar de faixa por conta própria. Só que ele permitiu que veículos trafegassem acima dos limites legais de velocidade e atravessassem cruzamentos de “maneira ilegal ou imprevisível”, disse a agência estadunidense, em documentos publicados em seu site.

Em janeiro, a Tesla divulgou, num documento regulatório, que o Departamento de Justiça dos EUA havia solicitado documentos relacionados ao software de direção autônoma da empresa, um possível revés para o CEO da fabricante.

Enquanto reguladores investigam a segurança dessa tecnologia, alguns proprietários de Tesla entraram com ações judiciais alegando que o software autônomo da Tesla não cumpre as promessas de Musk.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!