A União Internacional das Telecomunicações (UIT), agência ligada à Organização das Nações Unidades (ONU), está pedindo para que mais doações sejam feitas com o intuito de ajudar a conectar o mundo inteiro à internet.

A UIT divulgou um apelo mundial na quarta-feira (17), afirmando que os atuais US$ 30 bilhões (cerca de R$ 150 bilhões) disponíveis não são o suficiente para levar conexão à internet para todas as partes do planeta. A agência afirma que, para isso, é necessário ao menos US$ 100 bilhões (cerca de R$ 500 bilhões).

Leia mais:

Os US$ 30 bilhões disponíveis atualmente foram anunciados em dezembro de 2022 como parte de um fundo que visa estender o alcance da internet para todas as partes do planeta. Agora, a UIT pede que setores público e privado aumentem as doações para que mesmo países subdesenvolvidos consigam conectar suas populações à web. Os fundos são arrecadados pela campanha Parner2Connect.

publicidade
tecnologia
Agência da ONU calculou quanto é necessário para conectar o mundo inteiro à internet. Imagem: Shutterstock

O apelo foi divulgado na data em que é coemmorado o Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação. Foi no dia 17 de maio de 1865 que a UIT foi fundada — na época, ela era conhecida como União Internacional dos Telégrafos. A agência passou a ser vinculada à ONU formalmente em 1949, quando já era conhecida pelo nome atual.

“A tecnologia está no topo da agenda global, mas os benefícios da tecnologia digital ainda estão fora do alcance de muitas pessoas”, escreveu a secretária-geral da UIT, Doreen Bogdan-Martin, em um comunicado. “Se levarmos a sério a digitalização do mundo de uma forma que ela seja significativa e sustentável, devemos agir para acelerar a transformação digital para todos,” continuou.

2,7 bilhões de pessoas estão fora da internet

A UIT estima que 2,7 bilhões de pessoas não tinham acesso à internet até o fim de 2022. A situação é mais grave em países mais pobres, e a agência acredita que eles estão ficando cada vez mais para trás na economia global pela dificuldade em conectar a população ao mundo digital.

Via TeleSíntese

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!