O Ministério da Saúde está estudando formas de incorporar Inteligência Artificial (IA) a serviços públicos de saúde, como no Sistema Único de Saúde (SUS). Isso é o que disse a secretária de Saúde Digital do Ministério, Ana Estela Haddad, ao GLOBO.

Leia mais:

O que a secretária disse

  • Em entrevista ao jornal, Ana Estela Haddad afirmou que o Ministério está monitorando os avanços da IA.
  • O que mais chamou a atenção da secretária na IA foram os resultados da leitura de exames e diagnósticos, análise de dados epidemiológicos e criação de um banco de dados.
  • Para uma possível implementação no SUS, porém, a tecnologia precisa de uma legislação regulatória.
  • A secretária afirmou que a pasta também está acompanhando a tramitação do PL de regulamentação da inteligência artificial, além de analisar os impactos das aplicações na área da saúde.
  • O projeto de lei 2338/23 pretende regulamentar o uso de IA no Brasil no que diz respeito à segurança dos dados dos usuários. O PL está em tramitação no Senado desde o início deste maio, ainda sem previsão para ser votado.
  • A Secretaria de Saúde Digital não tem data para implementar IA no sistema de saúde brasileiro.
  • Outro desafio para isso, além da regulamentação, seria a necessidade de investimentos na inovação tecnológica.
tecnologia na saúde
IA no setor de saúde ainda passará por desafios no Brasil (Imagem: shutterstcok/sdecoret)

O que diz o Ministério da Saúde

Em nota, o Ministério afirmou que o uso da IA na área da saúde pode aprimorar diagnósticos e tratamento de doenças, auxiliar no desenvolvimento de doenças e na realização de cirurgias mais precisas.

A modernização desses sistemas podem servir como instrumento para facilitar e melhorar o acesso da população vulnerável às ações e ao cuidado, além de auxiliar na construção de políticas públicas.

Ministério da Saúde, em nota

IA e saúde em outros países

Na China e nos Estados Unidos, a IA já está sendo utilizada como apoio médico na predição de riscos, análise de dados de pacientes e até atendimento.

publicidade
Secretária acredita que a adoção da IA pode agilizar atendimentos no SUS (Imagem: metamorworks/iStock)

Ressalvas da OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS), porém, tem ressalvas. O órgão está preocupado com o rápido avanço da tecnologia e, em comunicado, pediu cautela na adoção, que deve “proteger e prometer bem-estar humano, segurança e autonomia” acima de tudo.

Casos de informações incorretas ou enviesadas por parte das plataformas já foram registrados, e isso também merece atenção.

Com informações de O Globo

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!