Phishing é uma palavra de origem inglesa e significa “pescaria” em português. O nome classifica uma forma muito comum de golpe cibernético, caracterizado por ‘pescar’ as vítimas para roubar seus dados pessoais e utilizá-los de maneira fraudulenta na internet. A seguir, confira seis coisas que você deve fazer após clicar em um link de phishing.

Leia mais:

O que é e como identificar o phishing?

Pharming é um tipo de golpe phishing, em que o usuário é redirecionado de um site confiável para uma cópia
Imagem: Golden Dayz / Shutterstock

Este golpe é mais comum por e-mail, mas também pode acontecer em sites ou por mensagens (SMS ou aplicativos mensageiros, como WhatsApp). Basicamente, o criminoso envia um texto persuasivo à vítima para convencê-la a clicar em um link perigoso, e após este ato, ele desenvolve métodos para roubar os dados pessoais.

Os textos enviados geralmente são de cobranças, escritos por “bancos oficiais”, que exigem o pagamento de um suposto débito em aberto com a instituição financeira. Abaixo do texto, há um link perigoso que deve, por exemplo, instalar malwares na sua máquina, capazes de escanear o seu PC e navegador em busca de senhas, nomes de usuários, números de cartões de crédito, e muito mais.

publicidade

Para identificar rapidamente um golpe como este, é necessário verificar o endereço de e-mail de quem enviou a mensagem, o qual geralmente conta com caracteres e números aleatórios –– algo que jamais estaria presente em canais de comunicação oficiais das instituições financeiras. Além disso, deve ficar atento a erros grosseiros de português, frases confusas e desconexas, arquivos em PDF com nomes estranhos e números, organização amadora das informações nos textos, etc.

Seis coisas para fazer após ser vítima de phishing

  • Desligue a conexão de internet: desconectar fios Ethernet dos dispositivos ou desligar o Wi-Fi pode combater dispersão dos malwares para outros dispositivos previamente conectados à mesma rede. Além disso, caso um download suspeito estivesse em andamento, ele não poderia ser concluído caso a internet fosse desligada, embora também seja adequado cancelar este mesmo download;
  • Faça um escaneamento de segurança: com a internet ainda desligada, abra o software do antivírus em seu dispositivo e realize uma varredura robusta de segurança. Desta forma, os arquivos contaminados serão encontrados e, posteriormente, eliminados;
  • Altere os termos de privacidade do seu navegador: acesse as configurações do seu navegador e configure-o para nunca salvar senhas, dados de cartões de crédito, endereços, nomes de usuário, e e-mails;
  • Mude os seus dados de acesso: entre nos aplicativos e demais softwares que precisam de e-mail/nome de usuário e senha para realizar login, e mude todos estes dados de acesso para aumentar a segurança das suas contas;
  • Ative a verificação em duas etapas: esta configuração é útil para adicionar mais uma camada de segurança às suas redes sociais, por exemplo, e dificultar o acesso alheio às mesmas;
  • Formate o seu dispositivo: essa prática é indicada para os usuários que não possuem arquivos importantes no aparelho ou que já fizeram backup, pois a formatação irá apagar todos os arquivos, programas e demais malwares que possam ter sido instalados.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!