Existem algumas hipóteses de como a água da Terra chegou até aqui, uma sugere que ela se juntou ao planeta ainda na sua formação, no disco protoplanetário, mas a mais aceita é de que ela tenha chegado aqui através de cometas e asteroides, e agora uma nova descoberta parece atestar essa hipótese.

Uma análise das amostras do asteroide Itokawa, retornados na missão japonesa Hayabusa, em 2010, revelaram a presença de cristais de cloreto de sódio, o sal de cozinha, indicando que esse tipo de rocha espacial pode ser mais rico em água do que se esperava.

Isso porque os cristais de sal se formam apenas na presença da substância. Além disso, o Itokawa é um asteroide do tipo S, o segundo mais comum do Sistema Solar, e anteriormente conhecido por ser pobre em minerais hidratados ou água. 

Assim, toda ou a maioria da água da Terra pode ter chegado aqui a partir de colisões com esses asteroides, no início da história do planeta.

publicidade

Os grãos se parecem exatamente com o que você veria se pegasse sal de mesa em casa e o colocasse sob um microscópio eletrônico. Eles são esses lindos cristais quadrados. Foi engraçado também, porque tivemos muitas conversas animadas em reuniões de grupo sobre eles, porque era tão irreal.

Tom Zega, cientista planetário e principal autor do estudo, em comunicado

Leia mais:

Água em asteroides

A amostra do asteroide analisada é duas vezes menos estreita que um fio de cabelo e foi coletada em 2005. A possibilidade dela ter sido contaminada foi descartada, devido a análises de imagens de antes e depois, tornando assim a primeira vez que os pesquisadores detectaram cristais de sal no asteroide.

Além disso, as amostras são condritos comuns, uma rocha espacial dos asteroides tipo S que representam 90% dos meteoritos encontrados na Terra, que até então pensava-se ser fontes improváveis de água.

Antes, os pesquisadores sugeriam que se a água tivesse vindo de rochas espaciais, elas teriam viajado em asteroides do tipo C, que se formaram distantes do centro do disco protoplanetário, onde as temperaturas eram mais frias e permitiam a existência de água, e que eventualmente colidiram com a Terra ao migrarem mais pro centro.

No entanto, com a descoberta de água em outra família de asteroides por meio dos condritos comuns, a Terra pode ter obtido seu ingrediente principal para a vida muito mais próximo do que se pensava.

Você precisa de uma rocha grande o suficiente para sobreviver à entrada e entregar a água. Se agora descobrirmos que os asteroides mais comuns podem ser muito ‘mais úmidos’ do que pensávamos, isso tornará a hipótese de entrega de água por asteroides ainda mais plausível.

Tom Zega

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!