A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos estabeleceu novas regras sobre o uso do ChatGPT em escritórios do Congresso. Na medida, anunciada nesta segunda-feira (26), a chefe administrativa da Casa, Catherine Szpindor, disse que os legisladores e a equipe agora estavam limitados a usar o ChatGPT Plus, a versão paga do chatbot, devido a seus recursos de privacidade aprimorados.

A decisão prevê que os funcionários da Câmara só podem usar o produto para “pesquisa e avaliação” com as configurações de privacidade ativadas e estão proibidos de colar “quaisquer blocos de texto que ainda não tenham sido tornados públicos” no serviço. As mudanças foram adotas sob a justificativa de aumentar a segurança.

Leia mais

O anúncio ocorre poucos dias depois que o líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, pediu urgência do Congresso americano para aprovar uma nova legislação para regular a indústria de inteligência artificial. Ele também apresentou uma nova estrutura detalhando as áreas de foco do Congresso, incluindo os riscos potenciais da IA para a segurança nacional e a perda de empregos.

publicidade

ChatGPT e os temores de vazamento de informações

  • Várias empresas privadas, incluindo a Samsung e a Apple, restringiram ou proibiram os funcionários de usar ferramentas como o ChatGPT. Eles citaram temores de que dados confidenciais possam ser vazados por meio das ferramentas.
  • Parlamentares do Senado e da Câmara já apresentaram uma série de projetos de lei para regular o setor.
  • O Congresso dos EUA também iniciou conversas com grandes figuras do setor para estabelecer normas de funcionamento das tecnologias.
  • Agências Federais americanas também estão pressionadas para revisar as políticas envolvendo o uso de inteligência artificial ou criar um nova comissão para regulamentar a utilização dessas tecnologias.

Com informações de The Verge.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!