A Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) divulgou, nesta terça-feira (4), a lista dos veículos mais vendidos no primeiro semestre deste ano.

A lista já foi afetada pelos descontos oferecidos pelo governo e pelas montadoras a veículos que custam até R$ 120 mil.

Leia mais:

Fiat Strada é líder pelo terceiro ano seguido

  • Segundo os dados divulgados, as vendas de automóveis zero km no Brasil tiveram alta de 8,76%, ou 998.270 emplacamentos;
  • A Fiat Strada está no primeiro lugar da lista, com 50.546 unidades comercializadas;
  • A picape está na liderança desde 2021, quando obteve o feito pela primeira vez e ocupou o lugar do Chevrolet Onix, então líder por seis anos consecutivos;
  • Em 2022, o veículo alcançou 112.456 emplacamentos;
  • A vice-liderança segue com o Onix, seguido por Volkswagen Polo, Onix Plus e Hyundai HB20.

Confira os dez veículos novos mais vendidos no 1º semestre no Brasil

  1. Fiat Strada: 50.546 unidades;
  2. Chevrolet Onix: 44.110 unidades;
  3. Volkswagen Polo: 37.722 unidades;
  4. Chevrolet Onix Plus: 35.726 unidades;
  5. Hyundai HB 20: 34.002 unidades;
  6. Volkswagen T-Cross: 32.035 unidades;
  7. Fiat Argo: 31.920 unidades;
  8. Fiat Mobi: 30.442 unidades;
  9. Jeep Compass: 30.350 unidades;
  10. Hyundai Creta: 29.948 unidades.

Junho

Falando especificamente de junho, primeiro mês contemplado pelos incentivos do governo, houve alta de 7,39% no número de veículos zero vendidos, sendo 189.528 ao todo.

publicidade

Segundo Andreta Jr. presidente da Fenabrave, se não fossem os problemas de logística, atrasos de liberação nos Detrans e alto volume de procura nas concessionárias, o número no mês anterior poderia ser ainda maior.

No nosso entender, o programa foi um sucesso para fazer ‘bater o coração’ [reviver o setor], mas precisa haver continuidade nesse trabalho.

Andreta Jr., presidente da Fenabrave

A Fenabrave não discerne quantos veículos foram emplacados com desconto, mas sabe-se que o emplacamento diário subiu de média de três mil a quatro mil para 22,4 mil no último dia útil de junho. Logo, parte das vendas será realocada para julho.

A instituição analisa alternativas do que seria essa continuidade e vai enviar sugestões ao governo. Segundo Andreta Jr., o foco será segurar a perda do poder de compra do consumidor, mas sem causar custos à política fiscal.

Quanto à perspectiva de aumento de vendas, a Fenabrave recalculou as projeções de crescimento no setor para cenário estável, com alta de 0,1% no ano para carros, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Com informações de g1

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!