Novas regras sobre o carregamento de veículos elétricos foram aprovadas pelo Parlamento Europeu, mudando diversos fatores, como formas de pagamento, velocidade e até disponibilidade de carregadores. O Reino Unido também está alterando as formas de pagamento, mas em mecanismo diferente.

Enquanto as vendas de EVs seguem em linha crescente, operadores de estações de carga se desdobram para instalar carregadores nas principais rotas de seus respectivos países. Essa corrida gerou diversos problemas técnicos com a tecnologia, como problemas no pagamento, falta do carregamento rápido em algumas regiões e carregadores de segurança duvidosa.

Leia mais:

Novas medidas impostas pela UE

Na tentativa de consertar essas falhas, a União Europeia apresentou diversas medidas para melhorar a experiência dos consumidores, entre elas:

publicidade
  • A mudança de carregamento, que, agora, será de 400 kW a 600 kW a cada 60 km;
  • Em 2028, a potência mínima deverá ser aumentada para 600 kW;
  • Caminhões e ônibus ganharam regras diferentes, com pontos de carregamento necessários a cada 120 km com potência de 1,4 MW a 2,8 MW.

As novas regras também exigem pagamentos de forma mais simples — descartando a necessidade de baixar aplicativos ou realizar assinaturas. Enquanto isso, a UE desenvolverá, até 2027, banco de dados públicos com informações sobre as estações de carregamento, como: disponibilidade, tempo de espera e valores, de todas as redes.

Reino Unido trabalha na confiabilidade das estações

Com foco diferente, o Reino Unido se propõe a oferecer estações de carregamento que sejam 99% seguras. Além disso, uma pesquisa de 2017 apontou que 15% das estações de carregamento de EVs no Reino Unido estavam fora de serviço. Esse número diminuiu para 8% em 2019, mas o Reino Unido estima reduzir esse número para 1%.

Com informações de Electrek

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!