Existem diversas enfermidades que estão há muito tempo em nosso planeta. Elas disputam o fato de ser a doença mais antiga do mundo. Porém, uma delas que está presente em animais desde a época dos dinossauros, há 77 milhões de anos.

Leia mais:

O Museu Real de Ontário (ROM) e a Universidade McMaster realizaram uma descoberta que foi publicada no mês de agosto de 2020 pela revista “The Lancet Oncology”. A notícia era sobre o osteossarcoma, um tipo de câncer ósseo que havia sido diagnosticado em um dinossauro que viveu de 76 a 77 milhões de anos.

A doença foi descoberta no osso da perna (fíbula) de um Centrosaurus apertus. O fóssil teria sido encontrado em Alberta, no Canadá, no ano de 1989.

publicidade

Por outro lado, o Guinness, Livro dos Recordes, ao tratar sobre doenças infecciosas em humanos, registra que a mais antiga do mundo é a tuberculose, inclusive também com sinais encontrados em dinossauros.

Há pesquisadores que identificaram indícios em esqueletos de 500 mil anos atrás na Turquia, no qual mostram que o ser já sofria com tuberculose na época. No entanto, ainda não foi possível provar o caso. O que se sabe é que a doença já foi encontrada em esqueletos de múmias do antigo Egito (3000 A.C).

A tuberculose é transmissível e causada pelo Mycobacterium tuberculosis ou bacilo de Koch. Ela afeta principalmente os pulmões, mas também pode acometer outros órgãos e sistemas.

Outra que aparece no topo da lista de doença mais antiga do mundo é a Hanseníase ou lepra, uma enfermidade bacteriana causada pelo Mycobacterium leprae (Bacilo de Hansen)”. Ela é transmissível por meio de secreções do infectado ou saliva.

Inicialmente aparecem manchas na pele. Se não tratada da forma correta, ela pode afetar olhos, rins, testículos, fígado, suprarrenais e baço. Há relatos da doença no século 6 a.C. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!