Saiba que o que é energia solar, seus tipos, como funciona e quais vantagens e desvantagens de se utilizar essa tecnologia. É a energia proveniente da luz e do calor do Sol. Mas, o mais importante é descobrir que se trata de uma forma de energia renovável e sustentável, porque o sol é uma fonte inesgotável de energia.

A energia solar pode ser captada e convertida em diferentes formas utilizáveis, como eletricidade ou calor, o que é uma das vantagens. Por ser considerada uma fonte de energia limpa, a energia solar é uma das fontes alternativas mais promissoras para obtenção energética. Mas também existem desvantagens e explicaremos quais são.

Com a energia solar, é possível produzir a energia elétrica através dos sistemas fotovoltaicos e heliotérmicos. Entenda, a seguir, como aproveitar a energia solar dessas duas formas e como é feita a captação por meio dos dois métodos.

Leia mais:

publicidade

Quais são as duas formas de utilizar a energia solar?

No sistema de energia fotovoltaica, a luz solar é transmitida diretamente em eletricidade por meio de paineis solares fotovoltaicos, compostos por células fotovoltaicas feitas de materiais semicondutores, geralmente o silício. Quando a luz solar incide sobre as células, os elétrons são liberados e geram uma corrente elétrica. A eletricidade gerada pode ser usada imediatamente ou armazenada em baterias para uso posterior. As vantagens e desvantagens dos dois sistemas de energia solar devem ser analisadas.

Apesar de o sistema fotovoltaico não exigir um ambiente com alta radiação para funcionar, a quantidade de energia produzida depende da densidade das nuvens, quanto menor o número de nuvens no céu, maior será a produção de eletricidade. Essa forma de obtenção de energia é uma das mais promissoras e com crescente aumento por conta da redução dos preços e dos incentivos oferecidos no intuito que mais países adotem fontes renováveis de energia.

A energia solar heliotérmica, também conhecida como energia solar de concentração, é uma forma de aproveitamento da energia solar que utiliza espelhos ou lentes para concentrar a luz solar em um ponto focal. Essa concentração de luz solar gera calor, que é então utilizado para gerar eletricidade ou para fornecer energia térmica. Usada principalmente no aquecimento da água de casas, hoteis e clubes. São utilizados paineis solares (espelhos, coletores, heliostatos), que refletem a luz solar, concentrando-a em um único ponto no qual há um receptor.

Esse receptor contém um líquido, que é aquecido pela luz solar refletida nos painéis. O líquido é responsável pelo armazenamento de calor, aquece a água nas usinas e produz vapor. Já o vapor movimenta as turbinas nas usinas, provoca o acionamento de geradores, que produzem energia elétrica. O uso desse tipo de energia solar é propício para regiões com muita incidência de luz solar, terrenos planos e poucas nuvens. A produção de energia solar heliotérmica é destaque no Brasil, tanto no Nordeste, como no Sudeste e também na região Centro-Oeste.

Energia solar: vantagens e desvantagens

Como o sol é uma fonte inesgotável de energia, a energia solar é uma ótima opção em vários aspectos. Porém, pelo mesmo motivo, muitas vezes enfrenta o entrave do clima. A produção é variável, porque depende das condições atmosféricas, por exemplo. Acompanhe outras vantagens e desvantagens.

Vantagens

  1. Amiga do ambiente: renovável e sustentável, afinal o sol é uma fonte inesgotável de energia. Além disso, a sua utilização não resulta em emissões de gases de efeito estufa ou outros poluentes. 
  2. Longa vida útil: os sistemas solares têm uma vida útil longa, geralmente variando entre 25 a 30 anos ou mais, dependendo da qualidade dos componentes utilizados. Isso significa que, uma vez instalado, um sistema solar pode fornecer energia por muitas décadas.
  3. Baixa manutenção: os sistemas solares precisam de pouca manutenção após a instalação inicial. Em geral, eles precisam apenas de limpeza periódica dos painéis solares para garantir a máxima eficiência. Isso resulta em custos de manutenção mais baixos em comparação com outras fontes de energia. 
  4. Ótima opção para países tropicais: o Brasil, por exemplo, apresenta grande potencial para esse tipo de produção de energia, já que a radiação solar costuma ser intensa durante boa parte do ano.
  5. Lugares afastados: locais de difícil acesso podem fazer uso da energia solar com mais facilidade, já que não é necessário grandes investimentos ou muito espaço para implantação.
  6. Valorização do imóvel: a instalação de um sistema solar em uma residência ou edifício comercial pode aumentar o valor do imóvel. A presença de um sistema solar é um potencial atrativo para compradores, que reconhecem os benefícios terapêuticos e ambientais associados à energia solar. 

Desvantagens

  1. Oscilação na geração: a produção de eletricidade pode ser reduzida em dias nublados, chuvosos ou durante a noite. A intermitência da energia solar pode exigir a complementação com outras fontes de energia ou o uso de sistemas de armazenamento de energia.
  2. Investimento:​ embora existam incentivos fiscais, prémios e programas de financiamento disponíveis em muitos países, é essencial considerar o custo inicial como parte da análise de viabilidade econômica e avaliar conforme a oportunidade. No Brasil, ainda há poucos incentivos governamentais para a adoção da tecnologia em um maior número de residências, estabelecimentos comerciais e indústrias.
  3. Baixa eficiência em armazenamento: o armazenamento de energia solar é pouco eficiente se comparado à energia hidrelétrica, aos combustíveis fósseis e à biomassa.
  4. Baixa adesão: os preços elevados em relação à produção de energia por meio de fontes não renováveis é um dos motivos da baixa adesão ao sistema de energia solar. Além disso, a falta de informação e o aspecto pouco acessível faz com que a maioria dos brasileiros não procurem saber sobre os benefícios.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!