Após seu lançamento, em 2012, o aplicativo Mapas da Apple mostrava um território bem confuso. Autoridades na Austrália até alertaram que algumas de suas falhas de navegação eram “potencialmente fatais”. Agora, algumas pessoas estão encontrando motivos para voltar ao app, de acordo com clientes e analistas de experiência do usuário.

Para quem tem pressa:

  • Após seu lançamento, em 2012, o aplicativo Mapas da Apple desagradou bastante os usuários;
  • Eventualmente, foi considerado o app mais odiado da empresa – a ponto do CEO Tim Cook pedir desculpas por ele;
  • Agora, algumas pessoas estão encontrando motivos para voltar ao app, de acordo com clientes e analistas de experiência do usuário;
  • Entre esses motivos, estão orientações claras para transporte público e seu design visualmente atraente.

Entre esses motivos, estão orientações claras para transporte público e seu design visualmente atraente – a especialidade da Apple.

Leia mais:

Mapas para a Apple

Montagem com ícone do Mapas da Apple em formato de coração em cima de mapa dos Estados Unidos
(Imagem: Rachel Mendelson/The Wall Street Journal)

Embora a Apple não dependa do aplicativo para vender mais iPhones, as grandes ambições da empresa com carros e fones de ouvido de realidade aumentada dependem de mapas que as pessoas realmente gostam de usar.

publicidade

“O Maps percorreu um longo caminho e as pessoas perceberam”, disse Craig Federighi, chefe de software da Apple, durante a Conferência Mundial de Desenvolvedores 2020 da empresa.

Jason Rabinowitz ficou tão furioso após a introdução do Mapas da Apple que mudou para o Android, para usar o Google Maps com mais facilidade. Mas isso não durou. O analista do setor de companhias aéreas de 37 anos, ouvido pelo The Wall Street Journal, voltou a usar iPhone em 2015.

Como nova-iorquino, ele confia mais nas informações sobre trânsito do que nas orientações de GPS. Alguns anos atrás, depois que a Apple promoveu alguns novos recursos de trânsito, ele experimentou o Apple Maps e os resultados o surpreenderam.

Ele agora acha que o Mapas da Apple sugere rotas criativas e mais rápidas e gerencia a imprevisibilidade das interrupções do metrô melhor do que o Google. Ele recomenda a amigos e familiares que o visitam.

Rabinowitz também gosta da visualização de trânsito mais “clean” do Apple Maps em comparação com o design mais confuso do Google Maps.

Ele chama a camada de trânsito do Google de “pecaminosamente feia de se olhar”. Mas ele ainda usa o Google Maps para dirigir.

Mapas da Apple e Google Maps

Pessoa segurando iPhone com Apple Maps aberto
(Imagem: Jason Cipriani/CNET)

Enquanto o Apple Maps vem pré-instalado nos aparelhos da Apple, a esmagadora maioria dos iPhones nos EUA tem o Google Maps baixado como alternativa, de acordo com a Canalys.

Para levar as pessoas a abrir seu Mapas, a Apple teve que adotar o que já era popular no Google Maps: um recurso de visualização de rua.

A Apple disse em sua conferência de desenvolvedores em junho que os usuários poderão usar mapas offline, outro recurso que o Google oferece há anos.

Além disso, alguns efeitos visuais, como visualizações 3D de cidades, apareceram pela primeira vez no Apple Maps.

O Google Maps também evoluiu, com recursos como uma visualização imersiva em 3D que permite verificar a aparência dos lugares em diferentes momentos do dia e uma ferramenta de realidade aumentada para encontrar lojas, restaurantes e outros pontos de interesse próximos.

Vantagens do Apple Maps

Montagem com iPhones exibindo telas diferentes do Mapas da Apple
(Imagem: Reprodução/B9)

A maior vantagem competitiva do Apple Maps sobre o Google é sua integração mais profunda com o iPhone.

Qualquer serviço iOS que exija instruções – desde encontrar restaurantes em algum app até localizar AirTags no Buscar – usa o Mapas da apple. E os usuários não podem mudar isso.

“As pessoas são inerentemente preguiçosas e criam hábitos em torno das opções padrão”, diz Peter Ramsey, consultor de experiência do usuário, que escreveu sobre as diferenças de design entre a Apple e o Google Maps. Ele também disse:

Por muito tempo, o Apple Maps foi tão ruim que as pessoas mudaram proativamente para o Google Maps. Mas conforme a experiência do Mapas melhorou, houve menos incentivo para fazer essa ação de quebra de padrão.

Jane Natoli, normalmente uma usuária avançada do Google Maps, passou a usar mais o Apple Maps em sua vida cotidiana depois que seu iPhone a incentivou a usá-lo num aeroporto.

O aplicativo sabia que ela estava no aeroporto e oferecia recomendações de lojas e restaurantes em seu terminal. Ele tinha informações mais claras e mais fáceis de interagir do que o Google Maps, disse a organizadora política de 42 anos de São Francisco.

Fora do aeroporto, Natoli gosta do design da Apple e acha as direções mais fáceis de ler, principalmente os nomes das ruas. No Google Maps, às vezes é difícil descobrir o nome da rua, não importa o quanto você amplie, disse ela.

Angelica Nguyen, uma jovem de 22 anos que se formou recentemente, compartilha um sentimento semelhante.

À noite, enquanto dirige, ela descobre que as estradas são mais fáceis de ver no Mapas da Apple e há menos pontos atrapalhando sua visão. Além disso, ela disse:

A Apple é muito boa em deixar as coisas bonitas.

Com informações do The Wall Street Journal

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!