Um estudo sem precedentes, baseado em observações da Agência Espacial Europeia (ESA) a partir do telescópio espacial Gaia, revelou uma “anomalia gravitacional” que desafia nosso entedimento do Universo.

Conforme o TNW, a anomalia ocorre quando estrelas orbitando vagamente, conhecidas como binárias largas, parecem se mover de formas que desafiam os modelos da gravidade padrão estabelecidos por Isaac Newton e Albert Einstein.

Leia mais:

O astrônomo Kyu-Hyun Chae, da Universidade Sejong, na Coreia do Sul, fizeram a descoberta enquanto estudavam sistemas estelares binários, que se referem a duas estrelas que orbitam em cada um.

publicidade
  • A acelerações menores que 0,1 nanômetro por segundo ao quadrado, a órbita das duas estrelas desviou-se da lei universal da gravitação de Newton e da relatividade geral de Einstein.
  • A descoberta põe em questão a existência da matéria escura, frequentemente usada para explicar tais anomalias.

“Testar a gravidade com binários largos é interessante, pois a matéria escura não pode desempenhar nenhum papel em sua dinâmica interna”, disse Chae.

  • Chae teorizou que o modelo Modified Newtonian Dynamics (MOND) poderia explicar por que essas estruturas teóricas anteriores eram incapazes de explicar os movimentos das estrelas;
  • A MOND foi conceituada pela primeira vez pelo físico Mordehai Milgrom, do Instituto Weizmann, em Israel, que propôs modificação nas leis da gravidade a baixas acelerações para explicar irregularidades observadas na rotação galáctica sem necessidade de matéria escura.

A descoberta de Chae é resultado de análise muito envolvente de dados de ponta, que, até onde posso julgar, ele realizou com muita meticulosidade e cuidado. Mas para uma descoberta tão abrangente – e é de fato muito abrangente – exigimos confirmação por análises independentes, de preferência com melhores dados futuros.

Mordehai Milgrom, físico do Instituto Weizmann, em Israel

“Se essa anomalia for confirmada como colapso da dinâmica newtoniana e, especialmente, se realmente concordar com as previsões mais diretas do MOND, terá enormes implicações para a astrofísica, a cosmologia e a física fundamental em geral”, acrescentou.

Chae comentou as implicações, afirmando que possíveis erros sistêmicos foram rigorosamente examinados e os resultados pareciam genuínos. Ele antecipa que as conclusões passarão por mais análises e refinamento à medida que mais dados estiverem disponíveis.

No entanto, essas descobertas podem ter efeito profundo em nossa concepção do Universo. “Como a cosmologia-padrão é baseada na relatividade geral, a cosmologia precisa de grande revisão agora”, disse Chae. “Acho que agora estamos entrando em período extremamente emocionante.”

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!