Em junho deste ano, a Alemanha ultrapassou a China e se tornou o segundo país mais atraente para investimentos em energias renováveis, atrás somente dos Estados Unidos. A meta do país europeu é que as fontes “limpas” representem até 80% de sua matriz energética até 2030. Atualmente, o índice está em 46%. No entanto, o principal desafio diz respeito a outra promessa alemã: alcançar a neutralidade climática até 2045. Para isso, a Alemanha precisará importar 70% de sua demanda de hidrogênio verde.

Leia mais

Quem irá produzir o hidrogênio verde que a Alemanha precisa?

  • Os benefícios do uso do hidrogênio verde, produzido a partir de energias renováveis, como a hidrelétrica, a eólica e a solar, já são conhecidos.
  • Ele é considerado como fundamental na luta contra as mudanças climáticas e pode ser utilizado, por exemplo, na fabricação de carros.
  • No entanto, os altos custos de armazenamento e transporte limitam a sua utilização em maior escala.
  • Além disso, há escassez na produção mundial do produto.

Investimentos na tecnologia

  • Entre os defensores do hidrogênio verde está o chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, que em 2022 afirmou que essa é “uma das tecnologias mais importantes para um mundo neutro em termos climáticos e a chave para descarbonizar nossas economias”.
  • Em uma nova entrevista, dada recentemente, ele disse acreditar que os próximos investimentos na tecnologia beneficiarão a economia estagnada do país como um todo.
  • Segundo o chanceler, o governo alemão “se moveu em um ritmo incrível” quando se trata de mudar a legislação em torno da produção de energia renovável, segundo reportagem da TheNextWeb.

Estratégia alemã

  • A Alemanha criou o Fundo para o Clima e a Transformação, no valor de 177,5 bilhões de euros, mais de R$ 967 bilhões.
  • Desse montante, 47,6 bilhões de euros, quase R$ 260 bilhões, estão reservados para subsídios para a população afetada pelos altos preços da energia.
  • E outros 20 bilhões de euros, cerca de R$ 109 bilhões, foram realocados para atrair fabricantes internacionais de chips semicondutores.
  • O investimento em hidrogênio verde, de fato, é de quase 20 bilhões de euros.
  • O objetivo do governo alemão é ter 30 GW de capacidade de eletrolisadores na Alemanha até o final da década e tornar o país um dos principais fornecedores de tecnologias de hidrogênio.
  • A estratégia também prevê a construção de uma rede inicial de hidrogênio para entrar em operação até 2032.
  • O problema continua o mesmo.
  • Todos os investimentos do país não serão suficientes para garantir a autossuficiência e, atualmente, não há nação no mundo capaz de produzir o hidrogênio verde necessário para atingir as metas propostas pela Alemanha.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!