Mais uma variante do coronavírus, que causa a Covid-19, foi detectada e já se espalha pelo mundo. A BA.2.86 foi identificada no final de julho na Dinarmaca e, segundo uma autoridade da Organização Mundial da Saúde (OMS), já está presente na África do Sul, Suíça, Estados Unidos, Israel e Reino Unido. A variante é uma mutação da Ômicron, a mais prevalente no mundo atualmente, e especialistas recomendam vigilância.

Leia mais:

Nova variante da Covid

Assim como a Eris, que já chegou ao Brasil, a variante BA.2.86 também é uma mutação da Ômicron.

Segundo a Reuters, ela foi detectada pela primeira vez em 24 de Julho, na Dinamarca, em um paciente de alto risco. Depois, foi identificada em outros pacientes que apresentaram sintomas em procedimentos de rotina em aeroportos e em amostras de água em alguns países.

publicidade

Os casos não estavam conectados, o que mostra que a mutação está em circulação.

Ilustração de homem com máscara PFF2 com sintomas de Covid
Assim como a Eris, nova variante também é uma mutação da Ômicron (Imagem: Cardiff University)

Qual o risco da variante

  • Segundo Maria Van Kerkhove, líder técnica da COVID-19 na OMS, os números dos casos de infecção pela BA.2.86 ainda são baixos.
  • Apesar de a variante estar sendo monitorada e cientistas não acreditarem que ela irá causar uma nova onda de mortes, casos graves e internações, eles alertaram para que o risco seja levado a sério, assim como a vigilância.
  • Autoridades em saúde ainda estão analisando até que ponto as vacinas são eficazes contra a mutação, uma vez que os imunizantes são melhores em prevenir mortes e casos graves do que a reinfecção.
  • Os especialistas também estão avaliando se os testes e medicamentos atuais funcionam contra a BA.2.86.

E no Brasil?

A variante BA.2.86 ainda não chegou ao Brasil.

Especialistas da área reforçam a importância da vacinação e das medidas de vigilância, como lavar as mãos e manter ambientes arejados.

Ilustração de moléculas do vírus da Covid-19 afetando o cérebro de uma pessoa
Sintomas detalhados da nova variante ainda não foram divulgados (Imagem: iStock)

Outra variante do coronavírus já chegou ao Brasil

  • A variante EG.5.1, apelidada de Eris, é outra subvariante da Ômicron, que atualmente é a cepa mais prevalente mundialmente.
  • Os sintomas se assemelham aos da Ômicron: febre, dor de cabeça, dor no corpo, dor de garganta e nariz escorrendo.
  • No entanto, a vacina também é o principal forma de proteção contra a mutação.
  • Ela foi identificada pela primeira vez no início de julho pela Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido, após já ter sido relatada na Ásia. Estados Unidos, Reino Unido, Tailândia e Índia são alguns dos países que já registram casos.
  • A atualização mais recente da OMS traz que a mutação EG.5, incluindo a cepa EG.5.1, é “variante sob monitoramento”. No entanto, o órgão ainda não sinalizou preocupação.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!