Os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) associados à Covid-19 apresentaram crescimento nos estados do Sudeste e do Centro-Oeste. As informações fazem parte do mais novo Boletim InfoGripe, divulgado pela Agência Fiocruz. Segundo os dados, o aumento nas infecções ocorreu principalmente entre a população adulta.

Leia mais

Rio de Janeiro apresenta aumento de casos em adultos

  • O Rio de Janeiro é o estado com maior crescimento dos casos.
  • Um leve aumento também foi verificado no Espírito Santo, em Goiás e em São Paulo.
  • Os dados são referentes as período de 3 a 9 de setembro e apontam para um cenário diferente do observado durante o mês de agosto.
  • O quadro atual indica o início de uma interrupção na tendência de crescimento dos casos associados ao rinovírus em crianças e pré-adolescentes.

Testagem e vacinação são fundamentais

Os resultados apresentados no mais recente boletim indicam a necessidade de reforçar a testagem e a vacinação contra a Covid-19.

É fundamental a vacina no braço dentro da recomendação atual das doses de reforço. Caso não esteja em dia, busque o posto de saúde mais próximo. Assim, esse ciclo de crescimento de Covid-19 que estamos começando a observar será de menor impacto. O risco fica bem menor com a vacina, principalmente, para evitar o desenvolvimento de casos graves.

Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe

Gomes ressalta que quem apresentar um quadro de resfriado ou sintomas gripais (como dificuldades respiratórias, tosses, espirros e desconfortos no corpo) deve procurar um posto de saúde para realizar a testagem. Ele reforça ainda que para quem apresentar esses sintomas e tiver que sair de casa, o uso da máscara de proteção é imprescindível. 

publicidade
(Imagem: Fusion Medical Animation/Unsplash)

Casos e óbitos

No total, já foram notificados 133.786 casos de SRAG no ano epidemiológico 2023, sendo 51.517 (38,5%) com resultado laboratorial positivo para algum vírus respiratório, 67.046 (50,1%) negativos e ao menos 8.057 (6%) aguardando resultado laboratorial.

Dentre os casos positivos, 8,7% foram de influenza A, 4,6% de influenza B, 39,2% foram VSR e 30,2% foram Sars-CoV-2 (Covid-19). Nas quatro últimas semanas epidemiológicas, a prevalência entre os casos positivos foi de 2,9% para influenza A, 0,9% para influenza B, 13,3% para VSR e 35,6% para Sars-CoV-2 (Covid-19). 

Também já foram registrados 8.057 óbitos, sendo 4.128 (51,2%) com resultado laboratorial positivo para algum vírus respiratório; 3.355 (41,6%) negativos; e ao menos 169 (2,1%) aguardando resultado laboratorial. Dentre os casos positivos, 11,4% são de influenza A, 5,7% influenza B, 8,0% VSR e 69,6% são Sars-CoV-2 (Covid-19).

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!