Um grupo de estudantes descobriu na Alemanha dezenas de túmulos de diferentes grupos étnicos que datam do período romano. A descoberta ajuda os arqueólogos a descobrirem mais sobre a região e os povos que ali viviam.

Ao todo foram desenterrados 46 túmulos, num local próximo a divisa do Ried de Hesse, em Nauheim, uma cidade a sudoeste de Frankfurt. A descoberta data do século 1 d.C e os restos mortais provavelmente pertenciam a estrangeiros com costumes funerários gauleses que assentaram na região em meados do século.

Leia mais:

Sepultura de estrangeiros

Dentre os túmulos, 44 deles pertenciam a pessoas que foram cremadas. No entanto, pouco se sabe sobre esses indivíduos e um novo exame dos restos mortais podera determinar a idade da morte, o sexo e as doenças. Alguns dos artefatos são um caldeirão feito de bronze, que foi utilizado como uma urna funerária, facas e outros tesouros que foram ofertados aos mortos.  

publicidade

Esses achados funerários não são comuns entre os romanos, mas foram difundidos à esquerda do Reno, no leste da Gália, no final da Idade do Ferro e no século I. Isso indica que os túmulos pertenciam a agricultores militares germânicos, que foram atraídos por romanos do norte. No novo local, eles assumiram o serviço de segurança na província e trouxeram junto sua cultura e ritos.

Até então, já se sabia sobre um acampamento romano que havia sido construído na região, mas encontrar os túmulos foi uma surpresa para os pesquisadores.

Dentre as sepulturas foram encontradas seis covas retangulares que indicavam que elas eram especiais, tendo sido escavadas ainda no início do cemitério. Além disso, em algumas das covas também foram encontradas urnas de vidro, evidenciado a riqueza de alguns dos indivíduos.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!